Deputada: 'mulheres precisam ser mais valorizadas na política'

A presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, deputada Jô Moraes (PCdoB-MG), ressaltou a importância de as mulheres valorizarem a participação feminina na política; ela foi uma das palestrantes do 1º Seminário Nacional de Inclusão da Mulher na Política e Igualdade de Gênero, organizado pela Coordenadoria da Mulher da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Comércio (CNTC); "As mulheres precisam acreditar nas mulheres", disse a parlamentar

A presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, deputada Jô Moraes (PCdoB-MG), ressaltou a importância de as mulheres valorizarem a participação feminina na política; ela foi uma das palestrantes do 1º Seminário Nacional de Inclusão da Mulher na Política e Igualdade de Gênero, organizado pela Coordenadoria da Mulher da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Comércio (CNTC); "As mulheres precisam acreditar nas mulheres", disse a parlamentar
A presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, deputada Jô Moraes (PCdoB-MG), ressaltou a importância de as mulheres valorizarem a participação feminina na política; ela foi uma das palestrantes do 1º Seminário Nacional de Inclusão da Mulher na Política e Igualdade de Gênero, organizado pela Coordenadoria da Mulher da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Comércio (CNTC); "As mulheres precisam acreditar nas mulheres", disse a parlamentar (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Agência Câmara - A presidente da Comissão de Relações Exteriores e de Defesa Nacional, deputada Jô Moraes (PCdoB-MG), ressaltou nesta terça-feira a importância de as mulheres valorizarem a participação feminina na política. Ela foi uma das palestrantes do 1º Seminário Nacional de Inclusão da Mulher na Política e Igualdade de Gênero, organizado pela Coordenadoria da Mulher da Confederação Nacional dos Trabalhadores do Comércio (CNTC).

"As mulheres precisam acreditar nas mulheres", disse a parlamentar, destacando que ainda é reduzida a presença feminina em cargos centrais da política, assim como a quantidade de candidatas a cargos eletivos. Segundo ela, é importante refletir sobre os caminhos para viabilizar uma confiança maior das mulheres nessa participação.

Jô Moraes falou sobre a conquista do voto feminino no Brasil, em 1932, e a sua associação a uma "necessidade democrática da sociedade". "A partir de 1996, nós começamos a ter uma legislação que procurava reforçar a participação feminina. De 1932 a 1996, tivemos poucos ganhos do ponto de vista político", lembrou.

Jô Moraes alertou que as políticas de incentivo a uma maior participação feminina no Parlamento não resolvem todos os problemas, mas são fundamentais: "Qual é o estrangulamento? É o estrangulamento estrutural, que é o voto econômico. Quem manda no voto no País é o dinheiro. Então, o que hoje queremos é uma cota de vagas para as mulheres", afirmou.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email