Deputados criticam prestação de contas

Os deputados João Henrique Caldas (SDD) Judson Cabral (PT) criticaram duramente a prestação de contas da Casa de Tavares Bastos relativa ao exercício financeiro de 2008. "Querem aprovar uma nova prestação de contas no escuro, de modo a se esconder os dados financeiros", disparou o primeiro. "Solicitei da Mesa os dados, mas o que obtive são números que não explicam muito como foram gastos os recursos do duodécimo", afirmou Judson Cabral. Contudo, as contas do exercício de 2008 foram aprovadas

Os deputados João Henrique Caldas (SDD) Judson Cabral (PT) criticaram duramente a prestação de contas da Casa de Tavares Bastos relativa ao exercício financeiro de 2008. "Querem aprovar uma nova prestação de contas no escuro, de modo a se esconder os dados financeiros", disparou o primeiro. "Solicitei da Mesa os dados, mas o que obtive são números que não explicam muito como foram gastos os recursos do duodécimo", afirmou Judson Cabral. Contudo, as contas do exercício de 2008 foram aprovadas
Os deputados João Henrique Caldas (SDD) Judson Cabral (PT) criticaram duramente a prestação de contas da Casa de Tavares Bastos relativa ao exercício financeiro de 2008. "Querem aprovar uma nova prestação de contas no escuro, de modo a se esconder os dados financeiros", disparou o primeiro. "Solicitei da Mesa os dados, mas o que obtive são números que não explicam muito como foram gastos os recursos do duodécimo", afirmou Judson Cabral. Contudo, as contas do exercício de 2008 foram aprovadas (Foto: Voney Malta)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Alagoas247 - Durante a sessão plenária da Assembleia Legislativa de Alagoas desta terça-feira (18), os deputados João Henrique Caldas (SDD), Judson Cabral (PT) e Antônio Albuquerque (PRTB) criticam a prestação de contas da Casa de Tavares Bastos relativa ao exercício financeiro de 2008. Por meio do projeto de decreto legislativo de número 020/2014, a Mesa Diretora apresentou o projeto para aprovação em plenário. Porém, os três parlamentares alertaram que 'desconhecem' o teor da matéria.

Para o deputado JHC, diante das denúncias de irregularidades na folha de pagamento da ALE, a Mesa Diretora deveria ter maior atenção na elaboração do documento que contém a prestação de contas, pois, segundo o parlamentar, o 'segredo' no ordenamento das despesas 'mostra que existem informações que a Mesa Diretora quer esconder da sociedade'.

"Mais uma vez, querem aprovar uma nova prestação de contas no escuro, de modo a se esconder os dados financeiros. A quem interessa toda essa postura? Estranhamente, a Mesa não deseja dar publicidade às despesa desta Casa. É muita estranha toda essa condução. Com essa postura, os membros da Mesa estão constrangendo os membros deste parlamento", expressou JHC, acrescentando que as contas entraram em votação 'sem a devida apreciação por parte do Tribunal de Contas de Alagoas, Ministério Público de Contas e, principalmente, sem o conhecimento dos parlamentares'. "São manobras arbitrárias, que não ajudam em nada o parlamento. Infelizmente, a Mesa Diretora ignora o clamor social por mais transparência", emendou.

Em seguida, o deputado Judson Cabral (PT) engrossou o discurso do colega parlamentar. Ele lembrou que o regimento da ALE dispõe que, anualmente, a Mesa tem de aprovar os gastos do exercício financeiro, escancarando todos os gastos. "O regimento da ALE é bem claro. As contas do ano anterior devem ser apreciadas até 31 de março. No entanto, esta Casa não vem seguindo o regimento. Solicitei da Mesa os dados, mas o que obtive são números que não explicam muito como foram gastos os recursos do duodécimo. Lamento, mais uma vez, o segredo da Mesa para com os gastos", afirmou.

Em resposta aos questionamentos dos parlamentares, o presidente da Mesa, Fernando Toledo (PSDB), esclareceu que o Projeto de Decreto Legislativo tramitou na Comissão de Orçamentos e Finanças, o que, segundo o tucano, asseguraria a legitimidade nas contas da Casa. Porém, em questão de ordem, a deputada Flávia Cavalcante (PMDB), que é integrante da comissão, chamou a atenção para o fato de 'desconhecer completamente o teor do projeto'.

"Não sei em qual reunião da comissão estas contas foram aprovadas, porque, como integrante, desconheço completamente o texto desse projeto. Não sei se as reuniões mudaram de dia ou se há algum fato do qual não tomei ciência. Acredito que deveria haver mais publicidade", pontuou Cavalcante.

Contudo, apesar dos questionamentos por parte dos referidos parlamentares, as contas relativas ao exercício de 2008 foram aprovadas.

Com gazetaweb.com

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email