Derrotado por Alckmin, João Doria será agora jantado por Serra

O prefeito de São Paulo, João Doria, que era vendido como "anti-Lula", já desistiu de concorrer à presidência da República; sua imagem foi ao chão com a traição ao governador Geraldo Alckmin, as viagens inúteis pelo País e a ração que ele pretendia oferecer aos pobres; o novo plano de Doria, agora, consiste em se reconciliar com Alckmin para tentar ser governador de São Paulo, em 2018; no entanto, mais uma vez, ele deve fracassar, uma vez que o senador José Serra (PSDB-SP) já articula sua candidatura com o apoio do presidente interino do PSDB, Alberto Goldman; ou seja: Doria terá mesmo que tentar ser prefeito de São Paulo – algo que ele parece abominar

O prefeito de São Paulo, João Doria, que era vendido como "anti-Lula", já desistiu de concorrer à presidência da República; sua imagem foi ao chão com a traição ao governador Geraldo Alckmin, as viagens inúteis pelo País e a ração que ele pretendia oferecer aos pobres; o novo plano de Doria, agora, consiste em se reconciliar com Alckmin para tentar ser governador de São Paulo, em 2018; no entanto, mais uma vez, ele deve fracassar, uma vez que o senador José Serra (PSDB-SP) já articula sua candidatura com o apoio do presidente interino do PSDB, Alberto Goldman; ou seja: Doria terá mesmo que tentar ser prefeito de São Paulo – algo que ele parece abominar
O prefeito de São Paulo, João Doria, que era vendido como "anti-Lula", já desistiu de concorrer à presidência da República; sua imagem foi ao chão com a traição ao governador Geraldo Alckmin, as viagens inúteis pelo País e a ração que ele pretendia oferecer aos pobres; o novo plano de Doria, agora, consiste em se reconciliar com Alckmin para tentar ser governador de São Paulo, em 2018; no entanto, mais uma vez, ele deve fracassar, uma vez que o senador José Serra (PSDB-SP) já articula sua candidatura com o apoio do presidente interino do PSDB, Alberto Goldman; ou seja: Doria terá mesmo que tentar ser prefeito de São Paulo – algo que ele parece abominar (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 – O prefeito João Doria Júnior bem que tentou se vender como anti-Lula. Agrediu, xingou, prometeu visitá-lo em Curitiba, mas seu projeto presidencial está olficialmente morto.

O enterro foi anunciado nesta quarta-feira pela jornalista Thais Bilenky (leia aqui).

A imagem de Doria foi ao chão com a traição ao governador Geraldo Alckmin, as viagens inúteis pelo País e a ração que ele pretendia oferecer aos pobres – a chamada farinata.

O novo plano de Doria, agora, consiste em se reconciliar com Alckmin para tentar ser governador de São Paulo, em 2018.

No entanto, mais uma vez, ele deve fracassar, uma vez que o senador José Serra (PSDB-SP) já articula sua candidatura com o apoio do presidente interino do PSDB, Alberto Goldman.

Ou seja: Doria terá mesmo que tentar ser prefeito de São Paulo – algo que ele parece abominar.

Reveja o vídeo da vereadora Sâmia Bonfim do Psol, sobre a farinata, e inscreva-se na TV 247:

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247