Doria diz não existir 'nenhuma possibilidade' de disputar prévias com Alckmin

Prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que não pretende disputar as prévias do PSDB contra o governador Geraldo Alckmin, seu padrinho político, para definir quem será o possível candidato da legenda na disputa presidencial de 2018; "Não existe nenhuma possibilidade. Nenhuma. Eu não disputo contra Geraldo Alckmin. Alckmin é meu amigo há 37 anos. Prévia com Geraldo Alckmin não vou disputar, não existe hipótese", assegurou; Doria também disse não ter intenção de deixar o PSDB para se filiar a outro partido de maneira a viabilizar uma possível candidatura ao Planalto, mas não descartou a possibilidade de se candidatar mais à frente

Prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB)
Prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), e governador de São Paulo, Geraldo Alckmin (PSDB) (Foto: Paulo Emílio)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), disse que não pretende disputar as prévias do PSDB contra o governador Geraldo Alckmin, seu padrinho político, para definir quem será o possível candidato da legenda na disputa presidencial de 2018. Doria também disse não ter intenção de deixar o PSDB para se filiar a outro partido de maneira a viabilizar uma possível candidatura ao Planalto. Em entrevista a jornalista Vera Magalhães, da Folha de São Paulo, Doria, porém, não descartou a possibilidade de se candidatar mais à frente.

"Não existe nenhuma possibilidade. Nenhuma. Eu não disputo contra Geraldo Alckmin. Alckmin é meu amigo há 37 anos. Prévia com Geraldo Alckmin não vou disputar, não existe hipótese", assegurou.

O tucano também voltou a criticar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, a quem qualificou como "Luiz Inácio Mentiroso da Silva".Sobreo fato de ter sido chamado de ser "um nada" por Lula, Doria retrucou que prefere ser "um nada livre a ser ladrão".

Doria também voltou a defender o afastamento definitivo do senador Aécio Neves da presidência do PSDB e a ampliação da participação de prefeitos e deputados na Executiva da legenda.

"Tá na hora de mudar a direção do PSDB. Não desrespeito o senador Aécio Neves, reconheço sua biografia, mas não tem o menor sentido ele permanecer na presidência do PSDB mesmo afastado", afirmou.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247