Doria quer IPTU até 64% mais caro para paulistano

Enquanto trai o seu padrinho político em busca de uma candidatura presidencial no próximo ano, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), pretende aumentar em cerca de 43% o valor venal dos imóveis da cidade, além de criar novas alíquotas para o IPTU; Centro da capital é a região que sofrerá maior reajuste médio, de cerca de 64,1%; ela inclui bairros como Bela Vista e Cerqueira César; por outro lado, o bairro cujo reajuste será o menor é o Morumbi, de somente 5%; atualmente, a cobrança do IPTU é fixa de 1% do valor venal do imóvel; prefeitura deve enviar o projeto de lei com as propostas à Câmara Municipal até outubro deste ano

Enquanto trai o seu padrinho político em busca de uma candidatura presidencial no próximo ano, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), pretende aumentar em cerca de 43% o valor venal dos imóveis da cidade, além de criar novas alíquotas para o IPTU; Centro da capital é a região que sofrerá maior reajuste médio, de cerca de 64,1%; ela inclui bairros como Bela Vista e Cerqueira César; por outro lado, o bairro cujo reajuste será o menor é o Morumbi, de somente 5%; atualmente, a cobrança do IPTU é fixa de 1% do valor venal do imóvel; prefeitura deve enviar o projeto de lei com as propostas à Câmara Municipal até outubro deste ano
Enquanto trai o seu padrinho político em busca de uma candidatura presidencial no próximo ano, o prefeito de São Paulo, João Doria (PSDB), pretende aumentar em cerca de 43% o valor venal dos imóveis da cidade, além de criar novas alíquotas para o IPTU; Centro da capital é a região que sofrerá maior reajuste médio, de cerca de 64,1%; ela inclui bairros como Bela Vista e Cerqueira César; por outro lado, o bairro cujo reajuste será o menor é o Morumbi, de somente 5%; atualmente, a cobrança do IPTU é fixa de 1% do valor venal do imóvel; prefeitura deve enviar o projeto de lei com as propostas à Câmara Municipal até outubro deste ano (Foto: Aquiles Lins)

Infomoney - O prefeito da capital paulista, João Doria (PSDB), pretende aumentar em cerca de 43% o valor venal dos imóveis da cidade, além de criar novas alíquotas para o IPTU(Imposto Predial e Territorial Urbano). A ideia é que bairros nobres tenham reajuste mais alto do que as regiões periféricas, de acordo com o Estado de S. Paulo.

A prefeitura deve enviar o projeto de lei com as propostas à Câmara Municipal até outubro deste ano. O imposto também deve ter um novo teto de reajuste anual para evitar que, já no ano que vem, o IPTU sofra altas por conta da alteração nos valores venais.

A proposta ainda segue a lei municipal que obriga a prefeitura a enviar, a cada quatro anos, uma Planilha Genérica de Valores, que determina o valor do metro quadrado de cada região e, com base nisso, o valor venal do imóvel.

Em entrevista ao Estadão, o secretário municipal da fazenda, Caio Megale, afirmou que o reajuste tem como objetivo trazer a base para um "valor mais próximo da realidade do mercado", saindo dos 50% do valor de mercado para cerca de 70% dos "valores reais".

O Centro da capital é a região que sofrerá maior reajuste médio, de cerca de 64,1%; ela inclui bairros como Bela Vista e Cerqueira César. Por outro lado, o bairro cujo reajuste será o menor é o Morumbi, de somente 5%.

Atualmente, a cobrança do IPTU é fixa de 1% do valor venal do imóvel.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247