Em baixa, açudes do Ceará estão com 6% de armazenamento

O maior açude do país, o Castanhão, segue sem aumento no seu volume de água; o reservatório tem 2,16% da sua capacidade máxima e alcançou, pela primeira vez, o volume morto em dezembro de 2017; monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) e com capacidade total de armazenamento de 18,63 bilhões m³, os reservatórios do Ceará têm volume de água de apenas 6,63%

O maior açude do país, o Castanhão, segue sem aumento no seu volume de água; o reservatório tem 2,16% da sua capacidade máxima e alcançou, pela primeira vez, o volume morto em dezembro de 2017; monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) e com capacidade total de armazenamento de 18,63 bilhões m³, os reservatórios do Ceará têm volume de água de apenas 6,63%
O maior açude do país, o Castanhão, segue sem aumento no seu volume de água; o reservatório tem 2,16% da sua capacidade máxima e alcançou, pela primeira vez, o volume morto em dezembro de 2017; monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) e com capacidade total de armazenamento de 18,63 bilhões m³, os reservatórios do Ceará têm volume de água de apenas 6,63% (Foto: Voney Malta)

Ceará 247 – Monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) e com capacidade total de armazenamento de 18,63 bilhões m³, os reservatórios do Ceará têm volume de água de apenas 6,63%.

O maior açude do país, o Castanhão, segue sem aumento no seu volume de água. O reservatório tem 2,16% da sua capacidade máxima. Ele alcançou, pela primeira vez, o volume morto em dezembro de 2017.

O Governo do Estado, apesar da realidade crítica, diz que Fortaleza, que recebe água do Castanhão, não corre risco de ficar sem água nos próximos meses.
Leia abaixo a distribuição do volume de água das bacias:

Litoral (35,32%), Alto Jaguaribe (5,89%), Coreaú (52,42%), Metropolitanas (14,02%), Serra da Ibiapaba (18,40%), Médio Jaguaribe (1,99%), Salgado (8,42%), Acaraú (16,16%), Banabuiú (2,19%), Sertões de Crateús (0,21%), Curu (9,06%) e Baixo Jaguaribe (0,94%).

Este ano foi registrado um aporte total de 44,53 milhões m³. No dia 9 de fevereiro, o aporte foi 1,80 milhão m³. Foram registrados aportes em 38 açudes, destacando-se os açudes Angicos, Ayres de Sousa, Banabuiú, Edson Queiroz e Jaburu.

 

Ceará 247 – Monitorados pela Companhia de Gestão dos Recursos Hídricos (Cogerh) e com capacidade total de armazenamento de 18,63 bilhões m³, os reservatórios do Ceará têm volume de água de apenas 6,63%.

 

O maior açude do país, o Castanhão, segue sem aumento no seu volume de água. O reservatório tem 2,16% da sua capacidade máxima. Ele alcançou, pela primeira vez, o volume morto em dezembro de 2017.

 

O Governo do Estado, apesar da realidade crítica, diz que Fortaleza, que recebe água do Castanhão, não corre risco de ficar sem água nos próximos meses.

Leia abaixo a distribuição do volume de água das bacias:

 

Litoral (35,32%), Alto Jaguaribe (5,89%), Coreaú (52,42%), Metropolitanas (14,02%), Serra da Ibiapaba (18,40%), Médio Jaguaribe (1,99%), Salgado (8,42%), Acaraú (16,16%), Banabuiú (2,19%), Sertões de Crateús (0,21%), Curu (9,06%) e Baixo Jaguaribe (0,94%).

 

No ano de 2018 foi registrado um aporte total de 44,53 milhões m³. No dia 9 de fevereiro, o aporte foi 1,80 milhão m³. Foram registrados aportes em 38 açudes, destacando-se os açudes Angicos, Ayres de Sousa, Banabuiú, Edson Queiroz e Jaburu.

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247