Em clima de união, indígenas participam de modalidades esportivas

A primeira fase dos Jogos Nativos de Integração, realizada neste domingo, 25, foi marcada pelo espírito de harmonia e respeito entre as etnias indígenas; participantes fizeram questão de saudar uns aos outros a cada final das provas, nas modalidades de arco e flecha, cabo de força e arremesso de lança

A primeira fase dos Jogos Nativos de Integração, realizada neste domingo, 25, foi marcada pelo espírito de harmonia e respeito entre as etnias indígenas; participantes fizeram questão de saudar uns aos outros a cada final das provas, nas modalidades de arco e flecha, cabo de força e arremesso de lança
A primeira fase dos Jogos Nativos de Integração, realizada neste domingo, 25, foi marcada pelo espírito de harmonia e respeito entre as etnias indígenas; participantes fizeram questão de saudar uns aos outros a cada final das provas, nas modalidades de arco e flecha, cabo de força e arremesso de lança (Foto: Aquiles Lins)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Tocantins 247 - A primeira fase dos Jogos Nativos de Integração, realizada neste domingo, 25, foi marcada pelo espírito de harmonia e respeito entre as etnias indígenas. Os participantes fizeram questão de saudar uns aos outros a cada final das provas, nas modalidades de arco e flecha, cabo de força e arremesso de lança.

Na prova do arco e flecha, os participantes tinham direito a três jogadas. O alvo ficava a 10 metros de distância e tinha o desenho de um peixe como imagem central. Etnias brasileiras como Karajá e Javaé, além de estrangeiras da Argentina, Costa Rica e Mongólia participaram da prova. Os indígenas da Mongólia arrancaram gritos e aplausos do público pela grande habilidade, acertando as três flechas no alvo.

Já na prova do cabo de força, os indígenas levaram para a Arena membros de sua tribo, que torciam com cantos e danças bem próximos aos participantes. Etnias dos Estados Unidos, Panamá, Filipinas e Nicarágua participaram da prova juntamente com indígenas brasileiros. Os Pataxó e os Xerente venceram alguns duelos, tanto na prova feminina como masculina.

A modalidade era composta por dois grupos compostos por dez integrantes cada um. No feminino, a prova tinha a duração de dois minutos e três no masculino. Um dos pontos altos da prova foi a vitória da etnia brasileira Kura Bakairi diante dos guerreiros da Nova Zelândia, conhecidos pela força, os Maori.

Para o estudante Bruno Carvalho, os JMPI são oportunidade de ver de perto o que se estuda na escola. "É muito legal porque a gente vê a cultura indígena, as pinturas, os objetos que eles usam, e aqui nos Jogos podemos ver isso de perto", disse o estudante.

Manifestação cultural
Após as modalidades esportivas, duas etnias fizeram demonstração de suas culturas. Os Kuikuro, do Mato Grosso, apresentaram a "dança do macaco", que tem como finalidade celebrar a alegria. Os Xerente fizeram uma amostra da "Corrida da Tora", apresentando também uma dança de agradecimento ao espírito protetor da Aldeia.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247