Empresas são responsáveis por morte de músico

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e a Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) foram responsabilizadas pela Polícia Civil pela morte do músico Davi Lima Santiago Filho, de 37 anos; Davi foi eletrocutado ao encostar em um fio solto enquanto passeava com um cachorro, na Zona Sul do Recife, em junho do ano passado

A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e a Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) foram responsabilizadas pela Polícia Civil pela morte do músico Davi Lima Santiago Filho, de 37 anos; Davi foi eletrocutado ao encostar em um fio solto enquanto passeava com um cachorro, na Zona Sul do Recife, em junho do ano passado
A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e a Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) foram responsabilizadas pela Polícia Civil pela morte do músico Davi Lima Santiago Filho, de 37 anos; Davi foi eletrocutado ao encostar em um fio solto enquanto passeava com um cachorro, na Zona Sul do Recife, em junho do ano passado (Foto: Mariana Almeida)

Mariana Almeida, Pernambuco247 - A Companhia Energética de Pernambuco (Celpe) e a Empresa de Manutenção e Limpeza Urbana (Emlurb) foram responsabilizadas criminalmente pela Polícia Civil pela morte do músico Davi Lima Santiago Filho, de 37 anos. Davi foi eletrocutado ao encostar em um fio solto enquanto passeava com um cachorro, em Setúbal, Zona Sul do Recife, em junho do ano passado.

De acordo com o Diário de Pernambuco, com o fim do inquérito, os chefes de segurança da Celpe e da Emlurb devem ser chamados para prestar esclarecimentos, já que são os responsáveis pela manutenção da fiação na região onde ocorreu o acidente. A informação, entretanto, não foi confirmada pela polícia.

Durante as investigações, a Celpe chegou a ser intimada pelo Ministério Público de Pernambuco (MPPE) para pagar uma multa de R$ 5 milhões por danos morais coletivos, além de ter que pagar outra multa, de R$ 170 mil, aplicada pela Agência Reguladora de Pernambuco, devido à negligência na manutenção da fiação elétrica. Na época da morte de Davi, diversas testemunhas relataram que já haviam pedido, anteriormente, para que o fio fosse retirado do local antes que causasse algum acidente.

Procurada pelo 247, a Celpe informou que não recebeu nenhum comunicado oficial sobre o assunto, mas se colocou à disposição para esclarecimentos. Já a Emlurb não atendeu às ligações nem retornou as chamadas. Desde o acidente com Davi, outras quatro pessoas morreram eletrocutadas no Recife. O caso mais recente foi o do menino Ênio Marcondes, de 11 anos, que morreu ao encostar em um fio no bairro de Pau Amarelo, em Paulista, em janeiro deste ano.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247