Expectativa de vida diminui em Alagoas, diz Ipea

De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea), a expectativa de vida dos homens em Alagoas diminui mais de dois anos. Entre as causas estão os altos índices de homicídios entre pessoas com idades entre 15 e 29 anos. Estudo do Instituto avalia situação em todos os Estados e tenta contabilizar, por meio de um modelo econômico complexo, o “valor da vida”.

Expectativa de vida diminui em Alagoas, diz Ipea
Expectativa de vida diminui em Alagoas, diz Ipea

Alagoas247 - Um estudo divulgado pelo Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) revelou a redução da expectativa de vida no país devido à morte violenta de milhares de jovens a cada ano. Em Alagoas, a expectativa de vida dos homens diminui mais de dois anos por causa de homicídios, acidentes e suicídios de pessoas com idades entre 15 e 29 anos. 

De acordo com o Ipea, os homens de Alagoas têm perda de 2,62 anos em sua expectativa de vida. No Espírito Santo, a perda é de 2,14 anos. Outros nove estados têm redução de mais de 1,5 anos na esperança de vida por causa da violência na juventude: Bahia (1,81 anos), Amapá (1,74), Pará (1,73), Paraíba (1,69), Paraná (1,68), Pernambuco (1,66), Ceará (1,6), Goiás (1,53) e Mato Grosso (1,51).

Apenas três estados têm perda estimada menor do que um ano: São Paulo (0,78), Acre (0,95) e Santa Catarina (0,98). No Rio de Janeiro, a perda é de 1,32 anos e no Distrito Federal, 1,42. 

O estudo do Ipea também tenta contabilizar, por meio de um modelo econômico complexo, o “valor da vida”. Conforme o cálculo do Ipea, as mortes violentas de jovens no país causam perda de bem-estar social equivalente a R$ 79 bilhões por ano. Nos estados mais violentos, como Alagoas, o custo das mortes violentas, de R$ 1,7 bilhão, chega a representar 6% do PIB. Em São Paulo, estado que registra a menor taxa de mortes violentas de jovens, o custo, de R$ 14,9 bilhões, representa 1% do PIB.

Com gazetaweb.com e Agência Brasil

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247