Ferreira Gullar torce por caos na Copa do Mundo

"Tudo pode acontecer, desde greves de transportes até tumultos na proximidade dos estádios, dificultando o acesso do público ou mesmo provocando a desistência daqueles que preferirem não pôr em risco sua integridade física", diz o escritor maranhense; ele também assume seu lado black bloc e pede protestos contra a Copa nas próximas semanas; em artigo recente, ex-presidente Lula criticou o derrotismo de setores que "parecem desejar o fracasso da Copa, como se disso dependessem as suas chances eleitorais"

"Tudo pode acontecer, desde greves de transportes até tumultos na proximidade dos estádios, dificultando o acesso do público ou mesmo provocando a desistência daqueles que preferirem não pôr em risco sua integridade física", diz o escritor maranhense; ele também assume seu lado black bloc e pede protestos contra a Copa nas próximas semanas; em artigo recente, ex-presidente Lula criticou o derrotismo de setores que "parecem desejar o fracasso da Copa, como se disso dependessem as suas chances eleitorais"
"Tudo pode acontecer, desde greves de transportes até tumultos na proximidade dos estádios, dificultando o acesso do público ou mesmo provocando a desistência daqueles que preferirem não pôr em risco sua integridade física", diz o escritor maranhense; ele também assume seu lado black bloc e pede protestos contra a Copa nas próximas semanas; em artigo recente, ex-presidente Lula criticou o derrotismo de setores que "parecem desejar o fracasso da Copa, como se disso dependessem as suas chances eleitorais" (Foto: Leonardo Attuch)

247 - Para o poeta Ferreira Gullar, o que pode acontecer na Copa de 2014 é absolutamente imprevisível. "Tudo pode acontecer, desde greves de transportes até tumultos na proximidade dos estádios, dificultando o acesso do público ou mesmo provocando a desistência daqueles que preferirem não pôr em risco sua integridade física", diz ele".

Gullar assume um tom alarmista e diz que "o governo do PT deve estar perplexo diante do que pode ocorrer e, quem sabe, lamentando sediar o torneio". Assim como Ronaldo, ele também usa a palavra "vergonha", para se referir à Copa. No entanto, enquanto o jogador prega "baixar o cacete nos vândalos", Gullar assume seu lado black bloc e diz que "por isso mesmo têm razão os que saem às ruas para protestar contra dinheirama despendida com as reformas e construção de novos estádios" (leia mais aqui).

Em artigo recente, o ex-presidente Lula criticou o derrotismo dos que se opõem à Copa e apontou razões políticas. "À medida que se aproxima a eleição presidencial de outubro, os ataques ao evento tornam-se cada vez mais sectários e irracionais. Determinados setores parecem desejar o fracasso da Copa, como se disso dependessem as suas chances eleitorais. E não hesitam em disseminar informações falsas que às vezes são reproduzidas pela própria imprensa internacional sem o cuidado de checar a sua veracidade. O país, no entanto, está preparado, dentro e fora de campo, para realizar uma boa Copa do Mundo – e vai fazê-lo".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247