Fontana: Cármen não aceita votar HC de Lula, mas se reúne com investigado

Deputado federal Henrique Fontana (PT-RS) demonstra a contradição da presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, que "não aceita votar habeas corpus do Lula, mas aceita reunir com presidente investigado e julgado pelo próprio STF para ouvir suas recomendações"; "Golpe e Estado de exceção é isso!", critica

Deputado federal Henrique Fontana (PT-RS) demonstra a contradição da presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, que "não aceita votar habeas corpus do Lula, mas aceita reunir com presidente investigado e julgado pelo próprio STF para ouvir suas recomendações"; "Golpe e Estado de exceção é isso!", critica
Deputado federal Henrique Fontana (PT-RS) demonstra a contradição da presidente do STF, ministra Cármen Lúcia, que "não aceita votar habeas corpus do Lula, mas aceita reunir com presidente investigado e julgado pelo próprio STF para ouvir suas recomendações"; "Golpe e Estado de exceção é isso!", critica (Foto: Gisele Federicce)

Rio Grande do Sul 247 - O deputado federal Henrique Fontana (PT-RS) demonstra a contradição da presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministra Cármen Lúcia, após seu encontro com Michel Temer em sua residência oficial neste fim de semana. A reunião fora da agenda pegou mal e foi alvo de críticas de diversos colunistas e analistas políticos.

"Presidente do STF, Carmem Lúcia, não aceita votar habeas do Lula, mas aceita reunir com presidente investigado e julgado pelo próprio STF para ouvir suas recomendações. Golpe e Estado de exceção é isso!", comentou o deputado no Twitter.

Inscreva-se na TV 247 e assista ao Bom Dia 247 deste domingo, que comentou o encontro:

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247