Fortunati: Porto Alegre não deve ter queda na arrecadação

Mesmo com a diminuição no repasse de verbas dos governos estadual e federal à Prefeitura de Porto Alegre, o prefeito José Fortunati disse que o resultado positivo é fruto do aperfeiçoamento de um modelo, introduzido em 2005 por José Fogaça e implantado a partir de 2013, com base em contratos de gestão; "É um instrumento usado pela iniciativa privada em que departamentos, setores e até subsidiárias firmam metas em cima de orçamentos a serem gastos ao longo do ano", disse 

Mesmo com a diminuição no repasse de verbas dos governos estadual e federal à Prefeitura de Porto Alegre, o prefeito José Fortunati disse que o resultado positivo é fruto do aperfeiçoamento de um modelo, introduzido em 2005 por José Fogaça e implantado a partir de 2013, com base em contratos de gestão; "É um instrumento usado pela iniciativa privada em que departamentos, setores e até subsidiárias firmam metas em cima de orçamentos a serem gastos ao longo do ano", disse 
Mesmo com a diminuição no repasse de verbas dos governos estadual e federal à Prefeitura de Porto Alegre, o prefeito José Fortunati disse que o resultado positivo é fruto do aperfeiçoamento de um modelo, introduzido em 2005 por José Fogaça e implantado a partir de 2013, com base em contratos de gestão; "É um instrumento usado pela iniciativa privada em que departamentos, setores e até subsidiárias firmam metas em cima de orçamentos a serem gastos ao longo do ano", disse  (Foto: Leonardo Lucena)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Rio Grande do Sul 247 - Mesmo com a diminuição no repasse de verbas dos governos estadual e federal à Prefeitura de Porto Alegre, o prefeito José Fortunati disse que o resultado positivo é fruto do aperfeiçoamento de um modelo - introduzido em 2005 por José Fogaça e implantado a partir de 2013 - baseado em contratos de gestão.

"É um instrumento usado pela iniciativa privada em que departamentos, setores e até subsidiárias firmam metas em cima de orçamentos a serem gastos ao longo do ano", disse o gestor à Rádio Guaíba.

Segundo ele, ainda não há dados referentes ao Imposto Predial e Territorial Urbano (IPTU). O chefe do executivo afirmou, no entanto que a prefeitura deve fechar o ano em azul. "A entrada do IPTU (parcela única) é fundamental para que a gente possa planejar o primeiro semestre de 2016", acrescentou.

Fortunati disse que 2016 deve ser ainda mais difícil para os prefeitos brasileiros devido às crises econômica e ético-política. "Pela primeira vez, corruptos e corruptores estão indo para a cadeia. Grandes empreiteiros do país estão na cadeia e isso é positivo", disse.

Em relação à Segurança Pública, o prefeito afirmou ter reservas quanto à municipalização do serviço. "Acho que quem deve cumprir com esta função, por estar melhor preparada, é a Brigada Militar. Obviamente hoje o efetivo é muito inferior ao desejado, mas não é culpa do atual governo, já está há mais de 20 anos com redução, e isso acaba acarretando presença muito menor de policiamento ostensivo e preventivo", complementou.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247