Gabrielli: perspectiva é que sobreoferta de petróleo caia em 2017

Em aula pública para estudantes da UFABC, o ex-presidente da Petrobras José Sérgio Gabrielli disse que uma série de fatores, como o crescimento da demanda chinesa e as novas formas de exploração dos EUA, provocou uma certa "sobreoferta" de petróleo e reorganizou a dinâmica produtiva no mundo; "Existem navios petroleiros carregados flutuando sem entregar nos portos e o crescimento de estoques nas refinarias. Consequentemente, temos uma certa capacidade de os mercados consumidores influenciarem nos preços. Com isso, vivemos uma situação de uma pequena sobrefoerta de petróleo no mercado. A perspectiva para 2017 e 2018 é que essa sobreoferta caia, pois os investimentos na atividade petroleira caíram em 2015", disse Gabrielli; veja vídeos

Gabrielli: perspectiva é que sobreoferta de petróleo caia em 2017
Gabrielli: perspectiva é que sobreoferta de petróleo caia em 2017 (Foto: Glaicon Emrich)

Do Opera Mundi - No novo episódio da Aula Pública, Sérgio Gabrielli, professor da Universidade Federal da Bahia e ex-presidente da Petrobras, discute o novo arranjo geopolítico do petróleo. Para o especialista, uma série de fatores, como o crescimento da demanda chinesa e as novas formas de exploração dos EUA, reorganizou a dinâmica produtiva no mundo. Os resultados desse processo, diz Gabrielli, são transformações significativas na economia em escala global, inclusive no Brasil.

"Nos últimos anos, tivemos uma profunda mudança no papel dos EUA enquanto produtor de petróleo. Além disso, o crescimento da demanda de China e Índia trouxe mudanças na organização produtiva no mundo. Temos um outro fenômeno no mercado atual: acúmulo de estoques nos países consumidores. Existem navios petroleiros carregados flutuando sem entregar nos portos e o crescimento de estoques nas refinarias. Consequentemente, temos uma certa capacidade de os mercados consumidores influenciarem nos preços. Com isso, vivemos uma situação de uma pequena sobrefoerta de petróleo no mercado. A perspectiva para 2017 e 2018 é que essa sobreoferta caia, pois os investimentos na atividade petroleira caíram em 2015", explica Gabrielli.

Assista ao primeiro bloco da Aula Pública com Sérgio Gabrielli: qual é o futuro do petróleo, no Brasil e no mundo?

 

No segundo bloco, Sérgio Gabrielli responde perguntas do público da UFABC, em São Bernardo do Campo

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247