Geddel: 'Se o PMDB não presta, podem nos afastar'

Em resposta às declarações do presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, de que PMDB, DEM e PSDB também devem ser investigados por crimes eleitorais, como desvio de dinheiro, o dirigente local do PMDB, Geddel Vieira Lima, afirma que o PT tem tentado denegrir a imagem dos outros partidos a partir de seus erros e volta a pregar fim da aliança com os petistas; "Se o PMDB não presta, como eles falam, podem pedir o nosso afastamento. Seria um favor"

Em resposta às declarações do presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, de que PMDB, DEM e PSDB também devem ser investigados por crimes eleitorais, como desvio de dinheiro, o dirigente local do PMDB, Geddel Vieira Lima, afirma que o PT tem tentado denegrir a imagem dos outros partidos a partir de seus erros e volta a pregar fim da aliança com os petistas; "Se o PMDB não presta, como eles falam, podem pedir o nosso afastamento. Seria um favor"
Em resposta às declarações do presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, de que PMDB, DEM e PSDB também devem ser investigados por crimes eleitorais, como desvio de dinheiro, o dirigente local do PMDB, Geddel Vieira Lima, afirma que o PT tem tentado denegrir a imagem dos outros partidos a partir de seus erros e volta a pregar fim da aliança com os petistas; "Se o PMDB não presta, como eles falam, podem pedir o nosso afastamento. Seria um favor" (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - Em resposta às declarações do presidente do PT na Bahia, Everaldo Anunciação, de que PMDB, DEM e PSDB também devem ser investigados por crimes eleitorais, como desvio de dinheiro, o dirigente local do PMDB, Geddel Vieira Lima, afirma que o PT tem tentado denegrir a imagem dos outros partidos a partir de seus erros.

"O PT foi pego com a boca na botija e agora está tentando dizer que todo partido é igual a ele. O que podemos ver na história da política é que ninguém nunca roubou tanto o dinheiro brasileiro como o PT. O pior é que ele (PT) não se constrange com nada", disse Geddel, que também é secretário nacional do PMDB.

Everaldo Anunciação usou o presidente do DEM, senador José Agripino, como exemplo para não expulsar João Vaccari Neto do PT. Vaccari é investigado na Operação Lava Jato e Agripino é acusado de ter recebido propina de R$ 1 milhão em contratos de inspeção veicular no Rio Grande do Norte, sua terra natal.

Mas para Geddel, o motivo da permanência de Vacarri no PT seria outro. "O PT não o afasta por medo que ele abra a boca e fale tudo", disse em entrevista ao jornal Tribuna da Bahia.

O ex-ministro voltou a pregar fim da aliança PT-PMDB. "Se o PMDB não presta, como eles falam, podem pedir o nosso afastamento. Seria um favor, manter distância desse 'titanic' que é o governo Dilma".

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247