Gestão Alckmin desperdiça água enquanto seca torneiras dos paulistas

Com a cheia do Rio Grande, na região do ABC Paulista, o excesso de água teve de ser despejado na poluída represa Billings, onde passa a ser inutilizável; isso porque a obra do governo com o objetivo de desafogar o Rio Grande demorou para entrar totalmente em operação; nos últimos três dias, a água desperdiçada tinha capacidade para abastecer 1 milhão de pessoas por dia

Com a cheia do Rio Grande, na região do ABC Paulista, o excesso de água teve de ser despejado na poluída represa Billings, onde passa a ser inutilizável; isso porque a obra do governo com o objetivo de desafogar o Rio Grande demorou para entrar totalmente em operação; nos últimos três dias, a água desperdiçada tinha capacidade para abastecer 1 milhão de pessoas por dia
Com a cheia do Rio Grande, na região do ABC Paulista, o excesso de água teve de ser despejado na poluída represa Billings, onde passa a ser inutilizável; isso porque a obra do governo com o objetivo de desafogar o Rio Grande demorou para entrar totalmente em operação; nos últimos três dias, a água desperdiçada tinha capacidade para abastecer 1 milhão de pessoas por dia (Foto: Gisele Federicce)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 – Enquanto muitos paulistas têm sofrido com falta de água diariamente, o governo de São Paulo desperdiçou, nos últimos três dias, um volume de água que poderia ter abastecido 1 milhão de pessoas por dia.

Isso porque o Rio Grande, na região do ABC Paulista, encheu e o excesso de água teve que ser despejado na poluída represa Billings, onde passa a ser inutilizável. Isso porque a obra do governo com o objetivo de desafogar o Rio Grande demorou para entrar totalmente em operação.

A interligação entre os sistemas Rio Grande e Alto Tietê seria uma solução para utilizar o excesso de água do Rio Grande. Inaugurado em setembro desse ano, o projeto deve transferir quatro mil litros de água por segundo ao longo de 22 km, segundo o governo.

O desperdício poderia ter sido evitado se em São Paulo tivessem mais obras de interligação entre os sistemas de reserva de água.

As informações são da Folha de S. Paulo. Leia aqui a íntegra da matéria do jornal.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email