Goiás tem queda geral na criminalidade em setembro

Todas as 12 modalidades de crimes consideradas de alta prioridade apresentaram redução em Goiás no período de janeiro a setembro de 2017 na comparação com igual período do ano passado; homicídios na capital tiveram recuo de (-36,59%). Este é o menor índice da década, perdendo apenas para março de 2011, quando foram registrados 21 casos; além disso, o número se igual a 2010, quando também foram verificadas 26 ocorrências; para o secretário de Segurança Pública, Ricardo Balestreri, o declínio da criminalidade em Goiás se deve a uma série de fatores, entre eles, os fortes investimentos nos setores de inteligência, tecnologia e, sobretudo, “ao trabalho heroico e integrado das forças policiais”

Todas as 12 modalidades de crimes consideradas de alta prioridade apresentaram redução em Goiás no período de janeiro a setembro de 2017 na comparação com igual período do ano passado; homicídios na capital tiveram recuo de (-36,59%). Este é o menor índice da década, perdendo apenas para março de 2011, quando foram registrados 21 casos; além disso, o número se igual a 2010, quando também foram verificadas 26 ocorrências; para o secretário de Segurança Pública, Ricardo Balestreri, o declínio da criminalidade em Goiás se deve a uma série de fatores, entre eles, os fortes investimentos nos setores de inteligência, tecnologia e, sobretudo, “ao trabalho heroico e integrado das forças policiais”
Todas as 12 modalidades de crimes consideradas de alta prioridade apresentaram redução em Goiás no período de janeiro a setembro de 2017 na comparação com igual período do ano passado; homicídios na capital tiveram recuo de (-36,59%). Este é o menor índice da década, perdendo apenas para março de 2011, quando foram registrados 21 casos; além disso, o número se igual a 2010, quando também foram verificadas 26 ocorrências; para o secretário de Segurança Pública, Ricardo Balestreri, o declínio da criminalidade em Goiás se deve a uma série de fatores, entre eles, os fortes investimentos nos setores de inteligência, tecnologia e, sobretudo, “ao trabalho heroico e integrado das forças policiais” (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - Todas as 12 modalidades de crimes consideradas de alta prioridade apresentaram redução em Goiás no período de janeiro a setembro de 2017 na comparação com igual período do ano passado, revelam estatísticas divulgadas nesta terça-feira (03/10) pelo Gerência do Observatório de Segurança Pública. Os homicídios tiveram queda (-11,8%), os estupros (-14,69%), as tentativas de homicídios (-22,31%), e os latrocínios (-41,73%).

Os roubos de veículos cederam em (-26,86%), os roubos em comércios diminuíram (-33,1%), enquanto, roubos a transeuntes e em residências recuaram respectivamente em (-24,54%) e (-21,22%). Os furtos também estão menores quando se compara com 2016: furto de veículos (-15,82%), furto em comércio (-14,42%), furto em residência (-1,82%) e furto a transeunte (-22,87%).

Também no mês de setembro de 2017, na comparação com igual período do ano passado, as estatísticas Secretaria de Segurança Pública e Administração Penitenciária mostram que houve recuo nas 12 naturezas criminais consideradas de alta prioridade.

De acordo com o relatório, os homicídios recuaram no mês de setembro (-7,5%), os estupros regrediram (-6,78%), enquanto as tentativas de homicídios diminuíram (-28%) e os latrocínios (-7,69%). As modalidades de roubos registraram as quedas mais acentuadas: roubo a transeunte (-34,43%), roubo de veículos (-27,41%), roubo em comércio (-35,53%) e roubo em residência (-33,5%). Os furtos de veículos tiveram declínio de (-7,11%), furto em comércio de (-5,14%), furto em residência (-17,89%) e furto a transeunte (-23,51%).

Para o secretário de Segurança Pública e Administração Penitenciária, Ricardo Balestreri, o declínio da criminalidade em Goiás se deve a uma série de fatores, entre eles, os fortes investimentos nos setores de inteligência, tecnologia e, sobretudo, “ao trabalho heroico e integrado das forças policiais”.

Homicídios em Goiânia apresentam recuo histórico

Em Goiânia, os homicídios e as tentativas de homicídios tiveram importantes quedas em setembro, na comparação com igual período do ano passado, revelam estatísticas do Observatório de Segurança Pública.

Homicídios na capital tiveram recuo de (-36,59%). Este é o menor índice da década, perdendo apenas para março de 2011, quando foram registrados 21 casos. Além disso, o número se igual a 2010, quando também foram verificadas 26 ocorrências.

As tentativas de homicídios também tiveram queda acentuada (-41,67%). Todas as categorias de roubos sofreram forte queda na capital. Em comércios despencaram (-51,22%), em residências (-44,97%), de veículos (-44,36%) e a transeuntes (-36,83%).

Nos furtos foram registradas as seguintes quedas: veículos (-6,02%), comércios (-21,15%), em residência (-3,53%), a transeuntes (-34,45%). Apenas os estupros cresceram 40% no mês.

No acumulado do ano, no período de janeiro a setembro de 2017, as doze modalidades estão em declínio na capital: homicídios (-11,08%), estupros (-32,2%), tentativas de homicídios (-30,44%), latrocínios (-17,24%), roubos a transeuntes (-25,95%), roubos de veículos (-35,26%), roubos em comércios (-42,06%), roubos em residências (-24,89%), furtos de veículos (-22,95%), furtos em comércios (-25,77%), furtos em residências (-1,01%) e furtos a transeuntes (-21,85%).

Aparecida de Goiânia

No mês de setembro, de 12 modalidades monitoradas pela SSPAP, nove retrocederam em Aparecida de Goiânia. Além dos homicídios (-25%), tiveram quedas tentativas de homicídios (-66,67%), roubos a transeuntes (-31,64%), roubos de veículos (-18,07%), roubos em residência (-2,27%), além de furtos em comércios (-40,98%) e furtos em residências (-37,05%). Os crimes de estupro, furto de veículos e furto a transeuntes, tiveram crescimento de 33,3%, 70,49% e 18,75%, nessa ordem.

No período de janeiro a setembro, 10 das doze naturezas de ocorrências reativas estão abaixo dos números do ano passado em Aparecida de Goiânia. Homicídios (-24,06%), estupros (-14,29%), tentativas de homicídios (-40,13%), latrocínios (-40%), roubos a transeuntes (-19,07%), roubos de veículos (-20,74%), roubos em comércios (-16,6%), furtos em comércios (-39,07%), furtos a transeuntes (-16,84%) e furtos em residências (-3,55%). Apenas roubos e furtos em residências apresentam oscilação positiva de 2,97% e 3,44%.

Entorno do Distrito Federal

As seguidas quedas nas taxas de criminalidade na região do Entorno do Distrito Federal mostram que as ações ostensivas e integradas realizadas pelas forças policiais têm sido assertivas.

No mês passado, os homicídios recuaram em (-31,34%) na região. Já os estupros e as tentativas de homicídios diminuíram, respectivamente, em (-29,41%) e (-29,63%).

As ocorrências de roubos a transeuntes caíram (-31,83%), roubos de veículos (-29,26%), roubos em comércios (-15,04%), roubos em residências (-23,29%). Os furtos a transeuntes encolheram (-35,29%), os furtos em residências (-23,12%) e os furtos de veículos (-10,23%). Apenas os furtos em comércios tiveram alta de 12,79% em setembro.

As estatísticas acumuladas do ano mostram que a região do Entorno do Distrito Federal mantém redução nos doze índices prioritários para a segurança pública. Em relação aos nove meses do ano passado, os homicídios caíram (-20,64%), os estupros (-10,16%) e as tentativas de homicídios (-30,99%).

Os roubos em veículos cederam, no período de janeiro a setembro, em (-23,44%), os roubos a transeuntes (-23,76%), roubos em comércios (-14,92%) e roubos em residências (-19,86%). Já os furtos de veículos registraram baixas de (-8,28%), furtos em comércios (-11,18%) e furtos em residências (-8,99%). Os furtos a transeuntes estão (-43,15%) abaixo do assinalado no período relativo a 2016.

Metodologia

Os dados consolidados são coletados e auditados pela Gerência do Observatório de Segurança Pública da SSPAP. A metodologia utilizada foi aperfeiçoada com a criação da Plataforma de Sistemas Integrados, um conjunto de software e ferramentas de Business Inteligence (BI), que tem como base o Registro de Atendimento Integrado (RAI).

A coleta e consolidação dos dados obedecem a rigorosos critérios de checagem que evitam duplicidade de registro ou com tipificação incorreta. Estas informações estão reunidas e à disposição dos interessados no sítio da SSPAP:www.ssp.go.gov.br/estatísticas, onde podem ser acessadas mais de 900 naturezas criminais filtrados por municípios ou Estado.

Ao vivo na TV 247 Youtube 247