Governadores têm nova reunião com Temer

O governador Wellington Dias permanece, nesta quinta-feira (01), em Brasília, para participar de nova reunião com representantes das cinco regiões do Brasil e o presidente Michel Temer; na pauta, a busca por um entendimento quanto ao repasse do valor das multas da repatriação para estados e municípios; o chefe do executivo teve, nesta semana, um encontro com o presidente da Caixa Econômica, Gilberto Occhi, e outro com o ministro dos Transportes, Maurício Quintela, com o objetivo de garantir financiamento de obras no estado; uma delas é o alargamento da BR- 343 desde a ponte que une Teresina a Timon até a Ladeira do Uruguai; "É um investimento de mais ou menos R$ 160 milhões", afirmou Dias

Em discurso na tribuna do Senado, senador Wellington Dias (PT-PI).
Em discurso na tribuna do Senado, senador Wellington Dias (PT-PI). (Foto: Leonardo Lucena)

Piauí Hoje - O governador Wellington Dias permanece, nesta quintafeira (01), em Brasília para participar de nova reunião com representantes das cinco regiões do Brasil e o presidente Michel Temer, às 10h30. Na pauta, a busca por um entendimento quanto ao repasse do valor das multas da repatriação para estados e municípios.

Apesar de, na semana passada, quase chegarem a um acordo, os governadores do Nordeste reagiram ao pacote de medidas do Ministério da Fazenda com imposições. De acordo com o governador Wellington Dias, "os estados brasileiros não tinham como assinar um acordo que parecesse uma troca celebrada perante ao Supremo Tribunal Federal (STF)".

Segundo Wellington, o governo federal deve fazer a sua parte para tirar o país da crise e os Estados estão fazendo o dever de casa. "Já estamos fazendo, nessa linha da austeridade fiscal de um lado, medidas para equilibrar previdência, para o controle de gastos com pessoal e custeio, para sobrar mais dinheiro para investimentos para o desenvolvimento e para o social", explicou Dias.

Wellington busca recursos em Brasília para duplicação e portos

O governador Wellington Dias participou, na quarta-feira (30), em Brasília, de audiência com o presidente da Caixa Econômica Federal, Gilberto Occhi, e outra com o ministro dos Transportes, Maurício Quintela, com o objetivo de garantir financiamento e a retomada de obras no estado, com o intuito de dar mais qualidade de vida e movimentar a economia piauiense, gerando emprego e renda.

Sobre a audiência no Ministério dos Transportes, Wellington ressalta a autorização do ministro para que seja licitada a obra de alargamento da BR- 343 desde a ponte que une Teresina a Timon até a Ladeira do Uruguai, que será possível após a emenda impositiva da bancada federal do Piauí.

"É um investimento de mais ou menos R$ 160 milhões. E nesse primeiro momento, tivemos a liberação para licitar o serviço para que, em 2017, possamos dar andamento no processo licitatório para iniciarmos as obras. Parabenizo toda a bancada federal que, por unanimidade, tem apoiado essa importante obra", observa Dias.

"Acertamos também as condições para garantir a retomada das obras de Luís Correia, uma parceria entre o Estado, a Fundação Getúlio Vargas (FGV), o Exército Brasileiro e Ministério dos Transportes. Inicialmente, um Porto Pesqueiro e um Porto Turístico, como já havia anunciado. Muito em breve, até 2018, teremos essa obra em atividade", completa o governador explicando ainda que as condições foram possíveis depois que o Estado devolveu, de forma parcelada, um valor que deveria tersido aplicado no projeto e que foi aplicado na obra.

Na oportunidade, o chefe do executivo estadual também revelou que está prevista a vinda do ministro dos Transportes, Maurício Quintela, ao estado do Piauí no próximo dia 09 de dezembro, onde participa da inauguração da rodovia de Santa Filomena.

De acordo com Wellington Dias, na Caixa Econômica foi fechado um acordo para garantir dois financiamentos distintos. "O primeiro no valor de aproximadamente R$ 300 milhões, dentro do acordo nacional, considerando que agora também saiu a resolução do Conselho Monetário Nacional que permite que estados como o Piauí, que não têm dívidas com a União, possam adquirir empréstimos considerados emergenciais. São investimentos em obras de adutoras, como as adutoras do litoral e ade Jaicós, estradas e pontes. O outro empréstimo será na área da habitação para um programa de moradia, onde o Estado faz uma parceria com um fundo e consegue ter juros mais baratos para que as pessoas possam fazer melhoramentos nas casas que já possuem", explica o gestor.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247