Governo suspende contratações e aumento de salários

O Governo do Piauí determinou a suspensão de qualquer reajuste salarial ou a contratação de pessoal, mesmo os aprovados em concurso público, segundo anunciou o secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles; "Estamos terminantemente proibidos de conceder reajustes ou vantagens salariais e de nomear concursados", disse; decisão foi tomada por conta do limite "prudencial" da Lei de Responsabilidade Fiscal referente aos gastos com pagamento de pessoal do Executivo ter sido ultrapassado, segundo o Piauí Hoje

O Governo do Piauí determinou a suspensão de qualquer reajuste salarial ou a contratação de pessoal, mesmo os aprovados em concurso público, segundo anunciou o secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles; "Estamos terminantemente proibidos de conceder reajustes ou vantagens salariais e de nomear concursados", disse; decisão foi tomada por conta do limite "prudencial" da Lei de Responsabilidade Fiscal referente aos gastos com pagamento de pessoal do Executivo ter sido ultrapassado, segundo o Piauí Hoje
O Governo do Piauí determinou a suspensão de qualquer reajuste salarial ou a contratação de pessoal, mesmo os aprovados em concurso público, segundo anunciou o secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles; "Estamos terminantemente proibidos de conceder reajustes ou vantagens salariais e de nomear concursados", disse; decisão foi tomada por conta do limite "prudencial" da Lei de Responsabilidade Fiscal referente aos gastos com pagamento de pessoal do Executivo ter sido ultrapassado, segundo o Piauí Hoje (Foto: Voney Malta)

Por Paulo Pincel, do Piauí Hoje - O Governo do Estado determinou a suspensão de qualquer reajuste salarial ou a contratação de pessoal, mesmo o aprovados em concurso público. A informação foi repassada na manhã desta quarta-feira (18), pelo secretário de Estado da Fazenda, Rafael Fonteles, durante apresentação do balanço financeiro do Estado relativo ao segundo quadrimestre de 2017 na Comissão de Fiscalização e Controle, Finanças e Tributação da Assembleia Legislativa.

"Estamos terminantemente proibidos de conceder reajustes ou vantagens salariais e de nomear concursados", admitiu o secretário, argumentando que o chamado "limite prudencial" da Lei de Responsabilidade Fiscal referente aos gastos com pagamento de pessoal do Executivo foi ultrapassado.

O estado alcançou os 46,70% de gastos com a folha de pagamento, acima do limite prudencial é de 46,55%. O limite legal de 49% ainda não foi atingido, o que poderia impedir o Piauí de receber transferências de recursos federais e de contratar operações de crédito, além de passar a lista negra do Cauc (Serviço Auxiliar de Informações para Transferências Voluntárias).

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247