Haddad aponta escalada obscurantista no Brasil e pede reação

Em estreia no Nocaute, o ex-prefeito Fernando Haddad faz um alerta sobre os retrocessos civilizatórios no País; ele menciona os casos da judoca Rafaela Silva, vítima de racismo no Rio, do professor Elisaldo Carlini, intimado a depor em razão de suas pesquisas sobre drogas, do também professor Luis Felipe Miguel, perseguido por ministrar um curso sobre o golpe, e das crianças revistadas nas comunidades carentes do Rio de Janeiro; confira 

Brasília- DF 05-01- 2016 Foto Lula Marques/Agência PT Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, durante entrevista a imprensa depois de encontro com ministro, Jaques Wagner.
Brasília- DF 05-01- 2016 Foto Lula Marques/Agência PT Prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, durante entrevista a imprensa depois de encontro com ministro, Jaques Wagner. (Foto: Leonardo Attuch)

247 – Em estreia no Nocaute, o ex-prefeito Fernando Haddad faz um alerta sobre os retrocessos civilizatórios no País. Ele menciona os casos da judoca Rafaela Silva, vítima de racismo no Rio, do professor Elisaldo Carlini, intimado a depor em razão de suas pesquisas sobre drogas, do também professor Luis Felipe Miguel, perseguido por ministrar um curso sobre o golpe, e das crianças revistadas nas comunidades carentes do Rio de Janeiro.

"Precisamos botar um freio nesse tipo de atitude e voltar à normalidade democrática", diz ele. "Estamos vivendo uma escalada obscurantista", afirma.

Confira a íntegra do vídeo:

Ao vivo na TV 247 Youtube 247