Investimentos devem garantir crescimento

Anlise da Ceplan Consultoria Econmica e Planejamento, divulgada nesta quinta-feira (9), indica que, apesar das dificuldades impostas pela crise mundial, Pernambuco deve continuar crescendo acima da mdia nacional; investimentos como a fbrica da Fiat so determinantes

Investimentos devem garantir crescimento
Investimentos devem garantir crescimento (Foto: Divulgação)

Raphael Coutinho_PE247 – A Ceplan Consultoria Econômica e Planejamento, divulgou nesta quinta-feira (9) a sua VIII Análise sobre a conjuntura econômica no país e no mundo. De acordo com o estudo, o repique da crise de 2008 a partir dos Estados Unidos se intensificou na Europa em 2011, trouxe reflexos para a economia do Brasil que reduziu, nos três primeiros trimestres do ano, o ritmo de crescimento retomado em 2010. No entanto, os dados apontam para a manutenção do ritmo de crescimento para 2012.

A previsão para Pernambuco é que a economia continuará a crescer mais que a nacional, puxada pelos investimentos já definidos no Estado, com destaque para a aceleração das obras da Copa e o início da construção da fábrica da Fiat. Segundo a Agência Estadual de Planejamento e Pesquisa de Pernambuco (Condepe/Fidem), a estimativa é de um crescimento de 5% em 2012 no Estado.

Apesar da situação de crise, estados como Pernambuco e Ceará mantiveram os bons índices do ano anterior, embora mais modestos. A edição aponta que no cenário internacional, baseado em indicadores do Fundo Monetário Internacional (FMI), houve uma desaceleração do PIB mundial, mais forte nos países desenvolvidos do que nos emergentes, como o Brasil que, junto com a China, ainda crescem bem.

Com a crise, a criação de emprego no País veio associada à expansão do Produto Interno Bruto (PIB), que chegou a 3,2% no acumulado dos três primeiros trimestres de 2011. Já a produção industrial no ano passado teve um modesto aumento de 0,3% e apresentou resultados negativos no Nordeste (-4,7%), com maior impacto no Ceará (-11,7%) e na Bahia (-4,4%). Em Pernambuco, a produção industrial estagnou em 2011.

“O ambiente mundial inspira cautela, já que alguns países vivem um momento delicado. A crise ainda não passou, mas o Brasil e o Nordeste, especificamente, não estão mal”, explicou o economista da Ceplan, Valdeci Monteiro. Segundo ele, as razões para o Nordeste ter mantido o ritmo atual foi o consumo das classes em ascensão, a transferência de renda e o segmento da construção civil.

Os números apresentados pelo Nordeste foram animadores. Pernambuco apareceu liderando os índices de crescimento do PIB da indústria no terceiro trimestre de 2011 com 5,4%, superando o índice nacional de 1% e o desempenho do Ceará, de -6,2% e da Bahia, -1,7%. Pernambuco ficou a frente ainda na arrecadação do ICMS, com um crescimento de 10,7% entre janeiro e outubro de 2011 sobre o mesmo período de 2010; seguido pelo Maranhão, com 5,5% e bem à frente do Ceará (1,6%) e das taxas decrescentes da Bahia (-1,1%) e de Alagoas (-9,5%).

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247