Janio de Freitas: Carlos Sampaio foi "ridículo"

Colunista Janio de Freitas considera "pouco séria" e "ridícula" a iniciativa do deputado Carlos Sampaio (PSDB/SP), que decidiu acionar a Procuradoria-Geral da República, numa representação que acusa a presidente Dilma Rousseff de improbidade administrativa por enviar cartões de Natal aos servidores públicos

Janio de Freitas: Carlos Sampaio foi "ridículo"
Janio de Freitas: Carlos Sampaio foi "ridículo" (Foto: Geraldo Magela)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O colunista Janio de Freitas, da Folha de S. Paulo, condenou duramente a iniciativa do deputado Carlos Sampaio (PSDB/SP), que representou contra a presidente Dilma Rousseff por improbidade administrativa depois que ela decidiu enviar um cartão de Boas Festas aos servidores públicos. Leia abaixo:

CAUSA PRÓPRIA

Enquanto os honrados do PSDB bloqueiam as investigações de seus feitos contra os cofres públicos de São Paulo, o líder de sua bancada na Câmara, deputado Carlos Sampaio, se ocupa com incriminações também do governo ou do PT. Sua ideia mais recente é uma ação contra Dilma Rousseff, na Justiça Eleitoral, por mandar cartões de Boas Festas aos funcionários. Sampaio, promotor de origem, considera que os cartões são abuso de poder, com finalidade eleitoral.

Então Dilma faz campanha desde o primeiro ano de governo. E Carlos Sampaio, para ser coerente, terá de processar muitos ministros, governadores e secretários de governo, inclusive do PSDB. Mas tem alternativa a esse trabalhão: é ser um pouco mais sério e menos ridículo, já que está pensando na sua própria reeleição.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

Cortes 247

WhatsApp Facebook Twitter Email