João: ser prefeito só não é pior do que ser delegado do inferno

O prefeito João Alves Filho (DEM) disse ao 247 que ainda é cedo para decidir se será ou não candidato à reeleição; "É uma coisa para se refletir muito”, frisou; “Falta dinheiro, não há orçamento, se corta recursos sem dar satisfação. É um emprego muito duro”, afirmou; questionado então se irá ou não disputar a reeleição em outubro, João afirmou que só decidirá isso daqui a “alguns meses”

O prefeito João Alves Filho (DEM) disse ao 247 que ainda é cedo para decidir se será ou não candidato à reeleição; "É uma coisa para se refletir muito”, frisou; “Falta dinheiro, não há orçamento, se corta recursos sem dar satisfação. É um emprego muito duro”, afirmou; questionado então se irá ou não disputar a reeleição em outubro, João afirmou que só decidirá isso daqui a “alguns meses”
O prefeito João Alves Filho (DEM) disse ao 247 que ainda é cedo para decidir se será ou não candidato à reeleição; "É uma coisa para se refletir muito”, frisou; “Falta dinheiro, não há orçamento, se corta recursos sem dar satisfação. É um emprego muito duro”, afirmou; questionado então se irá ou não disputar a reeleição em outubro, João afirmou que só decidirá isso daqui a “alguns meses” (Foto: Valter Lima)

Valter Lima, do Sergipe 247 - O prefeito João Alves Filho (DEM) disse ao 247 que ainda é cedo para decidir se será ou não candidato à reeleição. “É uma coisa para se refletir muito”, frisou. Ele pontuou que a função de prefeito “só não é pior do que a de delegado do inferno”. “Falta dinheiro, não há orçamento, se corta recursos sem dar satisfação. É um emprego muito duro”, afirmou.

Segundo o prefeito de Aracaju, “há uma grande dificuldade” em gerir a cidade. “Não há planejamento. O governo federal não quer brigar com os governadores, que influenciam senadores e deputados federais. A presidente não quer brigar, porque senão é garantia do impeachment, enquanto o prefeito não tem essa condição. Então se tira os recursos dos prefeitos. A gente não sabe o que vai receber, nem como planejar. É muito difícil”, ressaltou.

Questionado então se irá ou não disputar a reeleição em outubro, João afirmou que só decidirá isso daqui a “alguns meses”. “Aprendi que eleição não se deve planejar com muita antecedência. No momento certo, anunciarei minha posição”, desconversou.

Apoio de Amorim

João participou ontem da posse do desembargador Diógenes Barreto, no Tribunal de Justiça de Sergipe. Ao final do evento, ele se aproximou do senador Eduardo Amorim (PSC), com quem conversou brevemente. Perguntado se buscará uma aliança com Amorim, o prefeito disse que é amigo do senador e que “sempre gostaria de estar ao lado dele”.

“Gosto muito do senador Eduardo Amorim. É um senador muito bom, muito solidário quando vamos a Brasília. Gosto dele pessoalmente, mas não significa que a gente tenha compromissos políticos. Não sei se ele me apoiará”, afirmou.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247