Justiça exige que Visa e Master aceitem doações ao Wikileaks

Vitória aconteceu na Islândia; boicote das empresas de cartões de crédito, quando o site encabeçado pelo jornalista Julian Assange divulgou cerca de 250 mil arquivos secretos do governo americano, fez com que a organização perdesse 95% de seu financiamento

Justiça exige que Visa e Master aceitem doações ao Wikileaks
Justiça exige que Visa e Master aceitem doações ao Wikileaks (Foto: Divulgação)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Filipe Mauro _Opera Mundi - Conhecido por armazenar milhões de documentos sigilosos e por divulgar negociações diplomáticas e militares, o Wikileaks poderá voltar a receber doações por cartão de crédito na Islândia. O site venceu em primeira instância nesta quinta-feira 12 uma ação judicial na qual reivindicava o direito de voltar a receber doações processadas por companhias como Visa e MasterCard.

Diversas entidades financeiras norte-americanas decidiram cortar os serviços que disponibilizavam para os usuários do Wikileaks em 2010, quando o site encabeçado pelo jornalista Julian Assange divulgou cerca de 250 mil arquivos secretos do Departamento de Estado norte-americano. Após o boicote, os responsáveis pelo site alegam que o volume de doações sofreu uma queda de 95%.

Em entrevista ao jornal norte-americano The New York Times, a porta-voz do WikiLeaks, Kristinn Hrafnsson, alegou que o julgamento foi "um pequeno, mas importante passo na luta contra bancos poderosos". Ações judiciais também estão em trâmite na Dinamarca e na Bélgica.

A justiça da capital islandesa, Reykjavik, exigiu que a Valitor, empresa parceira da Visa e da MasterCard no país, voltasse a processar doações para o WikiLeaks em um prazo máximo de duas semanas. Caso a determinação seja descumprida, a companhia terá de arcar com uma multa diária de 800 mil coroas islandesas (o equivalente a 12.200 reais). A Valitor ainda não anunciou se recorrerá da decisão.

Embora simpatizantes do Wikileaks comemorem o ocorrido, não se sabe ao certo até que ponto empresas que não são sediadas no país serão obrigadas a cumprir a ordem. Tanto Visa quanto MasterCard decidiram interromper o processamento de doações para o site de Assange por pelo menos dois anos. Críticos da medida alegam que esse seria o produto da pressão do governo norte-americano para que a organização perca suas fontes de financiamento.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Apoia-se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247