Justiça proíbe ato pró-Lula na Paulista

Uma manifestação em apoio ao ex-presidente Lula organizada pela CUT foi proibida pela Justiça de acontecer na avenida Paulista; autoridades deram preferência a militantes anti-Lula para uso do espaço; Com a decisão, a CUT transferiu sua manifestação para a Praça da República, no centro de São Paulo

Justiça proíbe ato pró-Lula na Paulista
Justiça proíbe ato pró-Lula na Paulista (Foto: Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

SP 247 - O juiz Antonio Augusto Galvão de França, da 3ª Vara de Fazenda Pública de São Paulo, negou nesta sexta-feira, 19, o pedido da Central Única dos Trabalhadores (CUT) para realizar na Avenida Paulista um ato a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na próxima quarta-feira. Com a decisão, a entidade transferiu sua manifestação para a Praça da República, no centro de São Paulo.

A CUT ajuizou uma mandado de segurança na quinta-feira, 18, para garantir espaço na via no dia 24, quando o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, vai julgar um recurso do petista no caso do triplex do Guarujá (SP). Lula foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro, da Lava Jato em Curitiba.

A avenida, no entanto, também foi requisitada pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e Revoltados Online para uma manifestação contrária a Lula. Na quarta-feira, foi realizada uma reunião com entidades e Polícia Militar, mas não houve acordo.

De acordo com o juiz, porém, “não resta claro qual entidade protocolou primeiro o documento”. “Contudo, analisando a ata da reunião realizada junto à Polícia Militar, tudo indica que a preferência é da outra manifestação (anti-Lula)”, afirmou o juiz na decisão.

As informações são de reportagem de Gilberto Amendola no Estado de S.Paulo.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247