Justiça proíbe ato pró-Lula na Paulista

Uma manifestação em apoio ao ex-presidente Lula organizada pela CUT foi proibida pela Justiça de acontecer na avenida Paulista; autoridades deram preferência a militantes anti-Lula para uso do espaço; Com a decisão, a CUT transferiu sua manifestação para a Praça da República, no centro de São Paulo

Justiça proíbe ato pró-Lula na Paulista
Justiça proíbe ato pró-Lula na Paulista (Foto: Foto: Ricardo Stuckert/ Instituto Lula)

SP 247 - O juiz Antonio Augusto Galvão de França, da 3ª Vara de Fazenda Pública de São Paulo, negou nesta sexta-feira, 19, o pedido da Central Única dos Trabalhadores (CUT) para realizar na Avenida Paulista um ato a favor do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na próxima quarta-feira. Com a decisão, a entidade transferiu sua manifestação para a Praça da República, no centro de São Paulo.

A CUT ajuizou uma mandado de segurança na quinta-feira, 18, para garantir espaço na via no dia 24, quando o Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), em Porto Alegre, vai julgar um recurso do petista no caso do triplex do Guarujá (SP). Lula foi condenado a 9 anos e 6 meses de prisão pelo juiz Sérgio Moro, da Lava Jato em Curitiba.

A avenida, no entanto, também foi requisitada pelo Movimento Brasil Livre (MBL) e Revoltados Online para uma manifestação contrária a Lula. Na quarta-feira, foi realizada uma reunião com entidades e Polícia Militar, mas não houve acordo.

De acordo com o juiz, porém, “não resta claro qual entidade protocolou primeiro o documento”. “Contudo, analisando a ata da reunião realizada junto à Polícia Militar, tudo indica que a preferência é da outra manifestação (anti-Lula)”, afirmou o juiz na decisão.

As informações são de reportagem de Gilberto Amendola no Estado de S.Paulo.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247