Líder comemora aprovação de meta e critica Cunha

O deputado José Guimarães (PT-CE), líder do Governo na Câmara, comemorou a vitória do Executivo na aprovação da meta fiscal e declarou estar surpreendido com a decisão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) de pedir a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma (PT). “Não há fato ou justificativa alguma, a não ser o desejo míope, antidemocrático e golpista de setores da oposição que, na semana passada, jogavam pedra no presidente da Câmara e hoje se unem a ele para tentar o impedimento de uma das pessoas mais sérias do Brasil”, disse

O deputado José Guimarães (PT-CE), líder do Governo na Câmara, comemorou a vitória do Executivo na aprovação da meta fiscal e declarou estar surpreendido com a decisão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) de pedir a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma (PT). “Não há fato ou justificativa alguma, a não ser o desejo míope, antidemocrático e golpista de setores da oposição que, na semana passada, jogavam pedra no presidente da Câmara e hoje se unem a ele para tentar o impedimento de uma das pessoas mais sérias do Brasil”, disse
O deputado José Guimarães (PT-CE), líder do Governo na Câmara, comemorou a vitória do Executivo na aprovação da meta fiscal e declarou estar surpreendido com a decisão de Eduardo Cunha (PMDB-RJ) de pedir a abertura do processo de impeachment da presidente Dilma (PT). “Não há fato ou justificativa alguma, a não ser o desejo míope, antidemocrático e golpista de setores da oposição que, na semana passada, jogavam pedra no presidente da Câmara e hoje se unem a ele para tentar o impedimento de uma das pessoas mais sérias do Brasil”, disse (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará247 - “Por 314 votos a 99, derrotamos a tese daqueles que sempre trilham o caminho do quanto pior melhor”, comentou o líder do governo na Câmara dos Deputados, José Guimarães (PT-CE), comemorando a aprovação pelo Congresso Nacional, nesta quarta-feira (2), da proposta que ajusta a meta fiscal do governo para autorizá-lo a fechar o ano de 2015 com deficit primário de até R$ 119,9 bilhões.

Impeachment

Guimarães se disse surpreendido com a decisão do presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), de pedir a abertura do processo de afastamento da presidente Dilma Rousseff (PT). “Nós recebemos isso com absoluta indignação, porque não há fato ou justificativa alguma, a não ser o desejo míope, antidemocrático e golpista de setores da oposição que, na semana passada, jogavam pedra no presidente da Câmara e hoje se unem a ele para tentar o impedimento de uma das pessoas mais sérias do Brasil e sobre quem não pesa nenhum delito que possa justificar seu afastamento”, disse Guimarães, denunciando uma suposta tentativa de golpe institucional por parte da oposição.

“Nós podemos ter discordâncias, mas o respeito aos conceitos democráticos serão sempre uma referência nas nossas disputas aqui. Pedir o impeachment sem ter fato determinado algum não é razoável para uma oposição que diz ter compromisso com o Brasil”, criticou Guimarães.

Segundo ele, a presidente está segura de que o Congresso não levará à frente esse pedido de impeachment, porque ele não tem objetivo determinado e, portanto, não tem embasamento jurídico.

(Com informações da assessoria de imprensa)

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247