Líder do PSB minimiza resultado de pesquisa

Principal articulador político do PSB no Congresso Nacional, o deputado federal Beto Albuquerque (RS) afirmou que a aprovação de 79% da maneira de governar da presidente Dilma Rousseff (PT) pela população brasileira, apontada pela última pesquisa CNI/Ibope, não assusta os socialistas; sobre a visita que Dilma Dilma fará a Pernambuco na próxima segunda-feira (25), o parlamentar disse que “Será um prazer recebê-la no Estado que elegeu o governador Eduardo Campos com 83% dos votos e que tem uma ótima aprovação”

Líder do PSB minimiza resultado de pesquisa
Líder do PSB minimiza resultado de pesquisa
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PE247 – Principal articulador político do PSB no Congresso Nacional, o deputado federal Beto Albuquerque (RS) afirmou que o resultado da pesquisa feita pela Confederação Nacional da Indústria (CNI) / Ibope, que aponta uma aprovação de 79% na maneira da presidente Dilma Rousseff (PT) governar, não assusta os socialistas, que tem no governador de Pernambuco, Eduardo Campos, o seu potencial candidato à Presidência em 2014. De acordo com o parlamentar, o alto índice de popularidade da petista é natural, já que ela é a chefe do Executivo federal. O congressista ironizou, ainda, a visita que ela fará ao Estado na próxima segunda-feira (25).  “Será um prazer recebê-la no estado que elegeu o governador Eduardo Campos com 83% dos votos e que tem uma ótima aprovação”, observou.

O parlamentar gaúcho disse que o PSB está preocupado em oferecer uma alternativa que possa fazer mais pelo Brasil e não em saber se a presidente Dilma tem um alto ou baixo índice de popularidade. “De jeito nenhum esse resultado nos assusta. Ela tem as mensagens na televisão, tem a caneta na mão, e isso é natural”, disparou Albuquerque. “Queremos um debate real. Será que está se fazendo o máximo ou dá para fazer mais?”, questionou.

As declarações foram dadas ao jornal Folha de Pernambuco e mostram o afinamento dos socialistas em relação ao discurso sobre os resultados apontados na pesquisa. No último dia 19, em entrevista ao Pernambuco 247, o vice-presidente nacional do PSB, Roberto Amaral, declarou que o levantamento é benéfico apenas para avaliar a popularidade de Dilma. “Mas não tem valor de projeção eleitoral. O valor desta pesquisa é igual a zero”, disse.

Por sua vez, o governador Eduardo Campos também tratou com naturalidade o resultado ao dizer que a aprovação dela é a mesma desde o começo do mandato da petista. Vale ressaltar que, segundo a pesquisa, o Nordeste, principal reduto de Campos, é a Região que tem o maior peso na alta popularidade do Governo Dilma, basicamente porque ali é onde se tem o maior número de beneficiados do Bolsa Família, principal programa de transferência de renda do governo desde a Era Lula (2003-2010). Conforme o levantamento, enquanto 79% do eleitorado nacional aprova o modo da presidente governar, este percentual sobe para 85% entre os nordestinos.

Agora, em um ano pré-eleitoral, marcado pela antecipação das eleições 2014, Campos e Dilma traçam caminhos de diálogos inversos. De um lado, Dilma tem frequentado mais a Região Nordeste e, do outro, o governador pernambucano intensifica a sua agenda no Sul e Sudeste do Brasil, sobretudo junto ao setor empresarial. No próximo dia 9, por exemplo, Campos irá ao Rio Grande do Sul, onde será palestrante em um evento denominado de Fórum da Liberdade, organizado pelo Instituto de Estudos Empresariais. Além disso, já teve encontro com representantes da rede varejista Riachuelo, da Confederação Nacional do Comércio (CNC) e do Instituto do Desenvolvimento Varejista (IDV).

Que Dilma é candidata à reeleição, não é novidade. Agora, no caso de Campos, resta saber se os diálogos que ele vem tendo com segmentos da sociedade do Sudeste brasileiro, onde se localizam os principais colégios eleitorais (São Paulo, Minas Gerais e Rio de Janeiro), compensarão o prestígio que a favorita para o pleito 2014 tem na Região Nordeste.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email