Líder para prefeito de São Paulo, Russomano aguarda STF

Com 25% de intenções de voto, o deputado federal Celso Russomanno (PRB) oficializa lança neste domingo, 24, sua candidatura a prefeito de São Paulo; Russomano, entretanto, vive uma indefinição que pode inviabilizar sua candidatura e aguarda decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que pode enquadrá-lo na Lei da Ficha Limpa, tornando-o inelegível por utilizar verba pública para remunerar uma funcionária de sua empresa privada; PRB tenta atrair o vereador e pré-candidato a prefeito Andrea Matarazzo (PSD) com a promessa de que ele viria para a cabeça da chapa no caso da anulação da candidatura de Russomanno

Com 25% de intenções de voto, o deputado federal Celso Russomanno (PRB) oficializa lança neste domingo, 24, sua candidatura a prefeito de São Paulo; Russomano, entretanto, vive uma indefinição que pode inviabilizar sua candidatura e aguarda decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que pode enquadrá-lo na Lei da Ficha Limpa, tornando-o inelegível por utilizar verba pública para remunerar uma funcionária de sua empresa privada; PRB tenta atrair o vereador e pré-candidato a prefeito Andrea Matarazzo (PSD) com a promessa de que ele viria para a cabeça da chapa no caso da anulação da candidatura de Russomanno
Com 25% de intenções de voto, o deputado federal Celso Russomanno (PRB) oficializa lança neste domingo, 24, sua candidatura a prefeito de São Paulo; Russomano, entretanto, vive uma indefinição que pode inviabilizar sua candidatura e aguarda decisão do Supremo Tribunal Federal (STF) que pode enquadrá-lo na Lei da Ficha Limpa, tornando-o inelegível por utilizar verba pública para remunerar uma funcionária de sua empresa privada; PRB tenta atrair o vereador e pré-candidato a prefeito Andrea Matarazzo (PSD) com a promessa de que ele viria para a cabeça da chapa no caso da anulação da candidatura de Russomanno (Foto: Aquiles Lins)

SP 247 - O deputado federal Celso Russomanno (PRB) oficializa lança neste domingo, 24, sua candidatura a prefeito de São Paulo. Segundo a última pesquisa do Datafolha, ele tem 25% das intenções de votos, nove pontos à frente da segunda colocada Marta Suplicy (PMDB). Ele recebeu até o momento o apoio dos partidos PSC, PTN e PEN. 

Russomano, entretanto, vive uma indefinição que pode inviabilizar sua candidatura. Russomanno foi condenado em primeira instância em 2014 por utilizar verba pública para remunerar uma funcionária de sua empresa privada. Ele recorreu da sentença ao Supremo Tribunal Federal (STF) e agora, se for condenado, será enquadrado na Lei da Ficha Limpa, que diz que condenado por órgão colegiado torna-se inelegível.

As indefinições sobre Russomanno devem acabar no início de agosto, já que a ministra Carmen Lúcia, relatora do processo contra ele no Supremo, colocou o recurso na pauta para ser votado logo na volta do recesso do Poder Judiciário.

A Procuradoria-Geral da República enviou parecer pedindo a condenação. Para chegar à prefeitura, não basta a Russomanno convencer os eleitores paulistanos. Precisa antes dos votos dos ministros do Supremo.

O PRB tenta atrair o vereador e pré-candidato a prefeito Andrea Matarazzo (PSD) com a promessa de que ele viria para a cabeça da chapa no caso da anulação da candidatura de Russomanno. Um nome do próprio PRB deve ser indicado como vice caso as negociações com Matarazzo fracassem mesmo.

 

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247