Lula: estou com a tranquilidade dos inocentes

Em entrevista à Rádio Guaíba, o ex-presidente Lula afirmou na tarde desta quinta-feira 22, enquanto o STF julga se seu habeas corpus é válido, que não pode "aceitar o conjunto de mentiras que foi montado" para tentar condená-lo; "Toda peça se baseia em uma notícia mentirosa do Jornal o O Globo. Por conta disso, a Polícia Federal fez um inquérito mentiroso, que mandou para o MPF", afirmou; "Eu estou muito tranquilo. Estou com a tranquilidade dos inocentes e eles com a intranquilidade dos culpados. Eu ainda acredito na Justiça. Se não for hoje, vai ser daqui a um tempo", disse

Lula: estou com a tranquilidade dos inocentes
Lula: estou com a tranquilidade dos inocentes (Foto: Rafael Ribeiro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva afirmou na tarde desta quinta-feira (21) que está "com a tranquilidade dos inocentes". A declaração foi concedida à Rádio Guaíba, ao comentar o julgamento do seu Habeas Corpus pelo Supremo Tribunal Federal (STF), que pode evitar a sua prisão, depois de ele ter sido condenado sem provas tanto em primeira como em segunda instância no processo do triplex no Guarujá (SP).

"Eu estou muito tranquilo. Estou com a tranquilidade dos inocentes e eles com a intranquilidade dos culpados. Eu ainda acredito na Justiça. Se não for hoje, vai ser daqui a um tempo", disse.

O ex-presidente disse que não pode "aceitar o conjunto de mentiras que foi montado para tentar condenar o Lula". "Toda peça se baseia em uma notícia mentirosa do Jornal o O Globo. Por conta disso, a Polícia Federal fez um inquérito mentiroso, que mandou para o MPF", afirmou. "O (juiz Sérgio) Moro , que fez uma sentença mentirosa", complementou.

"Eu já tenho 72 anos e pelo menos 54 anos de luta. Não posso admitir que se construa uma farsa para tentar me condenar", continuou. 

Lula foi acusado pelo Ministério Público Federal (MPF) de ter recebido propina de R$ 3,7 milhões através do apartamento. Mas, quando o órgão denunciou ele, em setembro de 2016, o procurador Henrique Pozzobon admitiu não existir "prova cabal" de que o petista é "proprietário no papel" do tripléx.

Outro detalhe é que, também em janeiro deste ano, a juíza Luciana Correa Torres de Oliveira, da 2ª Vara de Execução e Títulos no Distrito Federal, determinou a penhora dos bens da OAS, numa ação movida por credores e um dos ativos penhorados é o triplex que a Lava Jato atribuiu ao ex-presidente Lula.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247