Marconi anuncia criação de 20 centros culturais no Estado

O governador Marconi Perillo anunciou, nesta segunda-feira, a criação de 20 centros culturais nas 20 maiores cidades goianas; anúncio foi feito durante o programa Papo Com Governador, bate-papo em tempo real com internautas por meio do Facebook; acompanhado pelo superintendente de Cultura da Seduce, Nasr Chaul, ele informou que as cidades que abrigarão os centros culturais já foram selecionadas, e que o Instituto de Arquitetura Brasileira (IAB) coordenará o projeto de construção dos centros

O governador Marconi Perillo anunciou, nesta segunda-feira, a criação de 20 centros culturais nas 20 maiores cidades goianas; anúncio foi feito durante o programa Papo Com Governador, bate-papo em tempo real com internautas por meio do Facebook; acompanhado pelo superintendente de Cultura da Seduce, Nasr Chaul, ele informou que as cidades que abrigarão os centros culturais já foram selecionadas, e que o Instituto de Arquitetura Brasileira (IAB) coordenará o projeto de construção dos centros
O governador Marconi Perillo anunciou, nesta segunda-feira, a criação de 20 centros culturais nas 20 maiores cidades goianas; anúncio foi feito durante o programa Papo Com Governador, bate-papo em tempo real com internautas por meio do Facebook; acompanhado pelo superintendente de Cultura da Seduce, Nasr Chaul, ele informou que as cidades que abrigarão os centros culturais já foram selecionadas, e que o Instituto de Arquitetura Brasileira (IAB) coordenará o projeto de construção dos centros (Foto: José Barbacena)

Goiás 247 - O governador Marconi Perillo anunciou, nesta segunda-feira, a criação de 20 centros culturais nas 20 maiores cidades goianas. O anúncio foi feito durante o programa Papo Com Governador, bate-papo em tempo real com internautas por meio do Facebook. Acompanhado pelo superintendente de Cultura da Seduce, Nasr Chaul, ele informou que as cidades que abrigarão os centros culturais já foram selecionadas, e que o Instituto de Arquitetura Brasileira (IAB) coordenará o projeto de construção dos centros.

O intuito é fomentar a cultura regional, proporcionando aos artistas equipamentos modernos para o desenvolvimento de seus trabalhos. “Podemos esperar uma verdadeira revolução em possibilitar às cidades do interior equipamentos do nível do talento existente em cada uma dessas regiões”, acrescentou Chaul.

Marconi e Chaul falaram sobre o incentivo à produção cultural no Estado (Lei Goyazes e Fundo Estadual de Cultura), e sobre os festivais culturais, dentre eles o Canto da Primavera, que terá início no dia 20 de outubro em Pirenópolis.

Abaixo, os temas abordados no Papo Com Governador:

Incentivo à produção cultural

Governador: Existem duas iniciativas nossas que, em minha opinião, consagram esse esforço na área da Cultura. Uma é a Lei Goyazes, que tem sido um importantíssimo instrumento de fomento às ações de Cultura, e o outro é o Fundo Estadual de Cultura, que assegura recursos para implementação de políticas de cultura, ampliação tanto nas artes plásticas, literatura, música, quanto em diversos campos. Esses são dois instrumentos de fomento para a área da Cultura. É claro que nós vivemos uma crise enorme no Brasil, nem sempre a gente pode fazer tudo o que a gente quer, mas temos dois instrumentos poderosos de fomento cultural. Além disso, ao longo do tempo, nós criamos outros importantes instrumentos de valorização e apoio à Cultura. Tivemos um importante projeto de restauração do patrimônio material, especialmente em igrejas antigas, prédios históricos. Outro programa foi o Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental (Fica), que começou em 1999 e está indo para a 19ª edição, e é respeitado no Brasil e no mundo. Criamos o Canto da Primavera, que é um projeto voltado à promoção da música, tanto goiana, quando nacional. Criamos outro festival voltado ao teatro, que é o TeNpo, realizado todos os anos em Porangatu. Criamos o festival Araguaia EnCanto, dentre outras inúmeras políticas de incentivo à Cultura. Construímos o Centro Cultural Oscar Niemeyer, que é um marco, além de termos construído outros importantes centros culturais. Criamos a Orquestra Sinfônica Jovem e a Orquestra Filarmônica de Goiás. Enfim, eu diria que na área de fomento à Cultura o Governo de Goiás tem se esforçado para estar muito acima da média no Brasil.

Fundo Estadual de Cultura e a Lei Goyazes

Nasr Chaul: O Fundo de Cultura passou neste ano por uma reformulação de todos os seus editais, ampliamos de 13 para 19 editais, e inserimos nesse contexto uma ampla discussão com todas as áreas, com o Conselho Estadual de Cultura, com as entidades ligadas à Cultura e firmamos 19 editais altamente republicanos, democráticos, transparentes e contemporâneos no sentido de que você faz tudo online. Dentre esses editais, nós temos para a Juventude, Comunidade LGBTT, matriz africana, Hip Hop, ou seja, Goiás hoje está sintonizado com o que há de mais moderno em termos de discussões de fomento no Brasil. Quanto à Lei Goyazes, ela tem um aporte de até R$ 10 milhões. Neste ano, serão R$ 6 milhões. Fizemos também uma nova instrução normativa, pois havia uma reclamação muito grande, visto que ela estava dissonante com a lei e a regulamentação da lei. Discutimos amplamente com o Conselho de Cultura e será publicada a nova instrução normativa, além de abertas as inscrições já com o aporte da Sefaz. O governador tem dois marcos na vida cultural desse Estado. Nas primeiras gestões, ele conseguiu algo que em termos históricos de uma sociedade é muito raro, que é elevar a autoestima de seu povo pela sua Cultura em tão pouco tempo. E isso ocorreu. E outro marco foi pegar o CCON fechado durante cinco anos e transformá-lo, daquilo que era rotulado de elefante branco, em um cartão postal.

Cultura em todo o Estado

Governador: Nós temos uma política clara de capilarização das nossas atividades culturais. Uma definição que nós tomamos há alguns anos, por exemplo, em relação à Orquestra Filarmônica, foi para que ela não ficasse só nos grandes teatros de Goiás, mas para que ela também fosse para as periferias, para as regiões mais distantes de Goiânia e também se interiorizasse. É impressionante o quanto as pessoas gostam de música clássica, gosta de música boa e de Cultura. O que nós estamos fazendo neste momento é capilarizar as orquestras, levando a boa música, a música de qualidade para próximo às pessoas. Existem outras atividades do Governo do Estado na área cultural que também promovem esse tipo de política no sentido da interiorização. Nós temos garantido recursos para levar eventos culturais, musicais, shows para todas as cidades, especialmente os municípios menores. Isso também tem sido uma garantia nossa através do orçamento do Estado. Agora, por exemplo, nós vamos ter o início do Canto da Primavera. A programação que foi desenhada está muito boa. É uma das melhores programações do Canto da Primavera, com atrações brasileiras e até de fora. É um evento que também obedece a essa lógica: valorizar a cultura local, mas ao mesmo tempo também trazer expoentes da cultura nacional.

Nasr Chaul: Lembrando que no próprio Fundo de Cultura, um dos editais é destinado para os municípios. Os festivais gastronômicos, que o senhor criou em 1999 e 2000, hoje são disseminados para dezenas de municípios brasileiros. Agora, com a retomada da construção dos 20 grandes centros culturais nas maiores cidades goianas.

Governador: É importante dizer que, eventos como Fica, Canto da Primavera e TeNpo, além da programação tradicional, nós também estimulamos muito as oficinas de música, de teatro, de cinema e o debate dos mais variados temas que são feitos com a comunidade, além é claro da conscientização, como de preservação do meio ambiente. Estes eventos todos têm sido educativos, extremamente importantes para o crescimento da consciência em relação à preservação dos nossos patrimônios materiais e imateriais, da nossa Cultura, das nossas raízes, da preservação do meio ambiente. A contribuição que nosso governo oferece à sociedade a partir da área de Cultura é algo extraordinariamente importante.

Canto da Primavera

Nasr Chaul: Ele tem uma alteração bastante significativa neste ano, pois ele vai ser feito em duas semanas: de 20 a 23 e de 27 a 30 de outubro, em Pirenópolis. Essa é a 17ª edição do Canto da Primavera. Neste ano ele tem uma semana básica de música instrumental, erudita; que é um anseio antigo da cidade de Pirenópolis. Concentramos bastante a programação nesse contexto, e, na segunda semana, 30 shows de artistas locais, com dois shows nacionais. Vamos abrir dia 20 com Carlos Malta e seu Pife Muderno e Lenine. E vamos fechar com Moraes Moreira e Davi Moraes. E duas atrações internacionais que estão sendo efetivadas nessa semana. É uma programação fantástica, com um viés pedagógico, educativo, de formação, que tem sido a nossa grande intenção tanto no Museu de Arte Contemporânea do Niemeyer quanto na Orquestra Filarmônica, que têm se dedicado à formação de crianças. A Orquestra faz atividades pedagógicas com mais de mil crianças duas vezes por mês, e o museu recebe cerca de 400 crianças semanalmente, com visitação e treinamento.

Governador: Queria observar que só é possível ter uma boa política cultural por parte do governo do Estado porque Goiás é um celeiro de grandes artistas e intelectuais do melhor nível em todas as áreas. Nós temos curadores de museus, músicos das mais variadas, temos artistas plásticos, pintores, companhias de dança, orquestras. Temos em Goiás o que há de melhor no Brasil. Se o governo tem políticas maduras, é porque aqui também somos um celeiro de artistas no Brasil.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247