Militares são retirados de Previdência complementar

O líder do governo na Assembleia Legislativa, Ronaldo Medeiros (PMDB), ouviu e atendeu ao pedido de integrantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros para que as categorias sejam retiradas do plano de previdência complementar que tramita no Poder e trata das aposentadorias e pensões de todos os servidores do estado; expectativa agora é que o governador Renan Filho atenda à solicitação do seu líder

O líder do governo na Assembleia Legislativa, Ronaldo Medeiros (PMDB), ouviu e atendeu ao pedido de integrantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros para que as categorias sejam retiradas do plano de previdência complementar que tramita no Poder e trata das aposentadorias e pensões de todos os servidores do estado; expectativa agora é que o governador Renan Filho atenda à solicitação do seu líder
O líder do governo na Assembleia Legislativa, Ronaldo Medeiros (PMDB), ouviu e atendeu ao pedido de integrantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros para que as categorias sejam retiradas do plano de previdência complementar que tramita no Poder e trata das aposentadorias e pensões de todos os servidores do estado; expectativa agora é que o governador Renan Filho atenda à solicitação do seu líder (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - Após a mobilização de integrantes da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros, o líder do governo na Assembleia Legislativa, deputado Ronaldo Medeiros (PMDB), enviou ao governador Renan Filho (PMDB) o pedido para que os militares sejam retirados do plano de previdência complementar, que tramita na Casa de Tavares Bastos. A matéria é fruto de um estudo elaborado pelo Poder Executivo, mas desde que chegou à Casa é alvo de críticas e questionamentos por integrantes das corporações. 

De acordo com Medeiros, ao ouvir os representantes das categorias militares ficou claro a necessidade se rever a inclusão deles nesse regime diferenciado que deve ser apreciado pelos parlamentares até o final do primeiro semestre. O projeto, de número 01/2016, versa sobre as aposentadorias e pensões de todos os servidores do estado, como também sobre o pagamento complementar. 

Deputados ouvidos pela reportagem apontam que existe a expectativa que o governador Renan Filho atenda à solicitação do líder do governo, mostrando ''boa vontade e diálogo'' com os homens da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros. O anúncio deve ser feito de forma oficial nos próximos dias, em um evento que contará com a presença de Renan e de deputado estaduais. 

Segundo o governo, o Regime de Previdência Complementar reforça a segurança financeira dos servidores e permite aposentadoria acima do teto vigente no Regime Geral da Previdência Social, de R$ 5.189,82. A mudança, entretanto, é válida aos futuros servidores concursados, que poderão optar, ou não, pelo modelo, já que este é um sistema desvinculado do regime geral e funciona como uma fonte de renda complementar.

Com gazetaweb

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247