Ministério do Meio Ambiente só aplicou no ano passado 13% da verba prevista contra mudança climática

O governo Bolsonaro dedica recursos escassos ao meio ambiente. No ano passado, quase 90% da verba dedicada ao combate aos efeitos da mudança climática não foi aplicada

Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente
Ricardo Salles, ministro do Meio Ambiente (Foto: Lula Marques)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Relatório da CGU (Controladoria-Geral da União) sobre a gestão do Ministério do Meio Ambiente aponta que no ano passado foi aplicado apenas 13% dos valores previstos para o programa de mudança climática da pasta.

Em 2019 o programa de Mudança do Clima do ministério tinha R$ 10,3 milhões de orçamento previsto e foram executados R$ 1,2 milhão, em valores aproximados.

O valor é menor que o destinado em anos anteriores para o programa. Em 2018, havia R$ 8 milhões previstos e foram executados R$ 2,1 milhões (26%). Em 2017, o programa de mudança climática tinha R$ 16 milhões previstos e conseguiu executar 27% das despesas, ou R$ 4,3 milhões.

Os auditores da CGU também apontaram uma queda significativa no apoio a projetos de combate à mudança climática por meio do Fundo Nacional sobre Mudanças do Clima (FMNC). Em 2019 foram executados 9% dos R$ 8 milhões previstos, ante a execução de 94% dos R$ 6,7 milhões previstos para essa ação em 2018.

O relatório apontou que alterações na composição do Fundo do Clima atrasaram o apoio a projetos na área.

Outra área em que apenas uma menor parte do orçamento previsto foi executado é o programa de Conservação e Uso Sustentável da Biodiversidade. No ano passado foram executados 14%, ou R$ 435 mil, dos R$ 3,2 milhões previstos no orçamento para as ações do programa de conservação da biodiversidade, informa o UOL.
 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247