Ministro alagoano de Temer quer privatizar aeroporto de Maceió

O deputado federal e ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Lessa (PR), prevê para o dia 23 de agosto, quando acontecerá a reunião do Conselho do PPI - Programa de Parcerias de Investimentos do Governo Federal, a análise da proposta de leilão de 19 aeroportos no país, incluindo o Aeroporto de Maceió; ele diz que o ideal é ofertar blocos de aeroportos por região para a iniciativa privada, contemplando assim unidades superavitárias e deficitárias por grupo

Brasília - O ministro Eliseu Padilha, o presidente em exercício, Michel Temer e o ministro Maurício Quintela em reunião com ministros do núcleo de infra-estrutura (José Cruz/Agência Brasil)
Brasília - O ministro Eliseu Padilha, o presidente em exercício, Michel Temer e o ministro Maurício Quintela em reunião com ministros do núcleo de infra-estrutura (José Cruz/Agência Brasil) (Foto: Voney Malta)

Por Jana Braga/alagoasalerta.com.br - O ministro dos Transportes, Portos e Aviação Civil, Maurício Quintella Lessa, prevê para o dia 23 de agosto, quando acontecerá a reunião do Conselho do PPI - Programa de Parcerias de Investimentos do Governo Federal - a análise da proposta de leilão de 19 aeroportos no país, incluindo o Aeroporto de Maceió.

O ministro entende que o ideal é ofertar blocos de aeroportos por região, hoje sob administração da Infraero, para a iniciativa privada, contemplando assim unidades superavitárias e deficitárias por grupo. Mas Quintella descartou que a Infraero seja privatizada, porém há a possibilidade de que o capital da empresa passe a ser aberto.

Em conversa com a coluna, de Brasília, ele explicou que a proposta ainda se encontra em fase de estudo para a elaboração do PMI - Plano de Manifestação de Interesse - que será apresentado e prevê obrigações, além da outorga de R$ 2,2 bilhões e investimentos de R$ 3,5 bilhões para o Bloco Nordeste que abrange os aeroportos de Maceió (AL), Recife (PE), Petrolina (PE), João Pessoa (PB), Campina Grande (PB), Teresina (PI), Aracaju (SE), Juazeiro do Norte (CE), São Luiz (MA), Imperatriz (MA), Paulo Afonso (BA) e Parnaíba (PI).

Maurício Quintella justifica que esses aeroportos em regiões turísticas apresentam um aumento na demanda e precisam de investimentos para fazer face ao crescimento e a Infraero não tem condições de fazer, além da burocracia que atrapalha na agilidade das respostas em melhorias para o público que transita nos terminais. Entusiasmado, com uma agenda de tirar o fôlego e atenciosamente detalhando a tramitação do processo de privatização, Maurício pontua que é uma grande oportunidade. Revela ainda que assim atende uma solicitação do setor turístico.

Qual a atual situação do Aeroporto Zumbi dos Palmares?

Integra a lista das poucas unidades do país que consegue manter-se com movimentação crescente, sendo o 5º aeroporto mais movimentado do nordeste e o 15° do país.

Mas precisa avançar em infraestrutura para ter suporte à altura da qualidade necessária. Uma constante adequação para que o nosso aeroporto não fique parado no tempo.

Assim, a concessão é apontada por muitos como um caminho maduro e sustentável.

Agora, concreto.

 

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247