Morre ex-governador de Minas Rondon Pacheco

O ex-governador de Minas Gerais, Rondon Pacheco, morreu em Uberlândia, aos 96 anos; a informação foi confirmada pelos familiares; ele esteve 18 dias, esteve internado em um hospital particular de Uberlândia para tratamento de uma pneumonia grave e havia recebido alta na última semana; uma das principais vias urbanas do município (foto), bem como um dos teatros, levam o nome do ex-governador, que foi ministro do governo do presidente Arthur Costa e Silva; o corpo será velado no Palácio dos Leões, no Museu Municipal, e o sepultamento será às 17h no Cemitério São Pedro

O ex-governador de Minas Gerais, Rondon Pacheco, morreu em Uberlândia, aos 96 anos; a informação foi confirmada pelos familiares; ele esteve 18 dias, esteve internado em um hospital particular de Uberlândia para tratamento de uma pneumonia grave e havia recebido alta na última semana; uma das principais vias urbanas do município (foto), bem como um dos teatros, levam o nome do ex-governador, que foi ministro do governo do presidente Arthur Costa e Silva; o corpo será velado no Palácio dos Leões, no Museu Municipal, e o sepultamento será às 17h no Cemitério São Pedro
O ex-governador de Minas Gerais, Rondon Pacheco, morreu em Uberlândia, aos 96 anos; a informação foi confirmada pelos familiares; ele esteve 18 dias, esteve internado em um hospital particular de Uberlândia para tratamento de uma pneumonia grave e havia recebido alta na última semana; uma das principais vias urbanas do município (foto), bem como um dos teatros, levam o nome do ex-governador, que foi ministro do governo do presidente Arthur Costa e Silva; o corpo será velado no Palácio dos Leões, no Museu Municipal, e o sepultamento será às 17h no Cemitério São Pedro (Foto: Leonardo Lucena)

Minas 247 - O ex-governador de Minas Gerais, Rondon Pacheco, morreu, na madrugada desta segunda-feira (4) em Uberlândia, aos 96 anos. A informação foi confirmada pelos familiares. Ele esteve 18 dias, esteve internado em um hospital particular de Uberlândia para tratamento de uma pneumonia grave e havia recebido alta na última semana. O corpo será velado no Palácio dos Leões, no Museu Municipal, e o sepultamento será às 17h no Cemitério São Pedro.

Além de governador, Pacheco foi ministro-chefe da Casa Civil durante o governo do presidente Arthur Costa e Silva, na Ditadura Militar, que durou de 1964 a 1984. Em homenagem ao conterrâneo e proprietário rural de Uberlândia, uma das principais vias urbanas do município, bem como um dos teatros, levam o nome de Avenida Governador Rondon Pacheco e Teatro Rondon Pacheco.

Nascido em 1919, em Uberlândia, Pacheco iniciou o curso de Direito na terra natal e depois foi para a capital Belo Horizonte onde concluiu os estudos, advogou e iniciou a carreira pública. Ele deixa esposa, duas filhas, um casal de netos e três bisnetos.

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247