Mourão defende militares no governo, mas diz que Pazuello deve sair

O general Hamilton Mourão, vice-presidente, afirmou que os militares são cidadãos como outros quaisquer e que a legislação permite que eles atuem fora da ‘Força’, mas que Pazuello deve sair

(Foto: Reuters)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - O general Hamilton Mourão afirmou que o ministro interino da Saúde deve sair em agosto. Ele disse: “o que diz a nossa legislação é que o militar da ativa, quando colocado fora da força, pode permanecer por até dois anos nessa função. Se desejar continuar, tem que ir pra reserva. Se ele [Pazuello] perde a passagem para a reserva agora, vai para o espaço. O cara tem que estar sempre apoiado.”

Ao portal Uol, Mourão ainda afirmou: “tem que parar de discutir determinados assuntos de forma preconceituosa: o militar é um cidadão como outro qualquer, apenas usa farda e tem um raciocínio cartesiano".

O vice-presidente ainda fez declarações sobre a estrutura do ministério da Saúde: “o Ministério da Saúde tem uns 5 mil funcionários. Tem o Pazuello e militares que não estão em funções técnicas, mas em funções ligadas às áreas de licitações, contratos e à questão da contabilidade, que é a especialidade desse pessoal.”

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247