MP-AL apura existência de servidores 'fantasmas' na Câmara de Vereadores de Delmiro

O Ministério Público Estadual (MPE) abriu investigação sobre a suposta ocorrência de servidores "fantasmas" na Câmara de Vereadores da cidade, bem como lotação irregular de funcionários na Casa Legislativa; segundo o MPE, o número de servidores da Câmara, informado em uma dessas planilhas, não condiz com a realidade, ou seja, é muito superior ao observado nos departamentos da Câmara diariamente

O Ministério Público Estadual (MPE) abriu investigação sobre a suposta ocorrência de servidores "fantasmas" na Câmara de Vereadores da cidade, bem como lotação irregular de funcionários na Casa Legislativa; segundo o MPE, o número de servidores da Câmara, informado em uma dessas planilhas, não condiz com a realidade, ou seja, é muito superior ao observado nos departamentos da Câmara diariamente
O Ministério Público Estadual (MPE) abriu investigação sobre a suposta ocorrência de servidores "fantasmas" na Câmara de Vereadores da cidade, bem como lotação irregular de funcionários na Casa Legislativa; segundo o MPE, o número de servidores da Câmara, informado em uma dessas planilhas, não condiz com a realidade, ou seja, é muito superior ao observado nos departamentos da Câmara diariamente (Foto: Charles Nisz)

Gazeta Web - O Ministério Público Estadual (MPE), através da Promotoria de Justiça de Delmiro Gouveia, abriu procedimento para investigar suposta ocorrência de servidores "fantasmas" na Câmara de Vereadores da cidade, bem como lotação irregular de funcionários na Casa Legislativa. A portaria está publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (8). 

De acordo com informações da publicação, a 3ª Promotoria de Justiça recebeu planilhas da folha de pagamento de pessoal da Câmara, relativa a dezembro de 2017, além de outras despesas realizadas pelo Legislativo, nos meses de dezembro do ano passado e janeiro deste ano. 

Conforme assinala a portaria, o denunciante acredita que o número de servidores da Câmara, informado em uma dessas planilhas, não condiz com a realidade, ou seja, é muito superior ao quantitativo que ele observa trabalhando diariamente.

A denúncia enfatiza que alguns dos servidores relacionados estariam cedidos de maneira irregular a outros órgãos ou poderiam ser "fantasmas", "recebendo dos cofres públicos sem efetivamente trabalharem".

Por tais razões, a promotoria resolveu abrir investigação para apurar todos os fatos relatados na denúncia, expedindo ofício à Câmara Municipal de Delmiro para que preste informações sobre a lotação dos servidores relacionados na folha de pagamento do pessoal apresentada pelo requerente, bem como acerca de possíveis servidores cedidos para outros órgãos públicos e o respectivo ato de cessão (caso exista).

A portaria é assinada pelo promotor de Justiça da cidade, Bolívar Cruz Ferro.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247