MP pede que Polícia Federal apure se incêndios na Chapada são criminosos

O Ministério Público Federal (MPF) em Irecê pediu abertura de inquérito policial para apurar se os incêndios que consomem o Parque Nacional da Chapada Diamantina foram provocados por 'atuação humana'; os ofícios foram expedidos à Polícia Federal na quinta-feira (26); na investigação que buscou apurar as providências adotadas pelos órgãos competentes para combater o fogo, o MPF encontrou indícios de que o incêndio pode ter sido provocado 'pelo homem'

O Ministério Público Federal (MPF) em Irecê pediu abertura de inquérito policial para apurar se os incêndios que consomem o Parque Nacional da Chapada Diamantina foram provocados por 'atuação humana'; os ofícios foram expedidos à Polícia Federal na quinta-feira (26); na investigação que buscou apurar as providências adotadas pelos órgãos competentes para combater o fogo, o MPF encontrou indícios de que o incêndio pode ter sido provocado 'pelo homem'
O Ministério Público Federal (MPF) em Irecê pediu abertura de inquérito policial para apurar se os incêndios que consomem o Parque Nacional da Chapada Diamantina foram provocados por 'atuação humana'; os ofícios foram expedidos à Polícia Federal na quinta-feira (26); na investigação que buscou apurar as providências adotadas pelos órgãos competentes para combater o fogo, o MPF encontrou indícios de que o incêndio pode ter sido provocado 'pelo homem' (Foto: Romulo Faro)

Bahia 247 - O Ministério Público Federal (MPF) em Irecê pediu abertura de inquérito policial para apurar se os incêndios que consomem o Parque Nacional da Chapada Diamantina foram provocados por 'atuação humana', o que pode representar crime ambiental. Os ofícios foram expedidos à Polícia Federal na quinta-feira (26).

Na investigação que buscou apurar as providências adotadas pelos órgãos competentes para combater o fogo, o MPF encontrou indícios de que o incêndio pode ter sido provocado 'pelo homem'.

De acordo com os esclarecimentos encaminhados pela Superintendência do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis (Ibama) na Bahia e pela Secretaria do Meio Ambiente no Estado da Bahia (Sema), há sinais de que as queimas, que já atingiram uma área de aproximadamente 30 mil hectares, possam estar ocorrendo de forma intencional.

Para o procurador da República Márcio Albuquerque de Castro, "é revoltante descobrir que um dos fatores que propiciaram tal devastação ambiental corresponde, justamente, à atuação criminosa do ser humano." Castro requisitou a visita de equipe da Polícia Federal até o Parque, o mais rápido possível, para apuração dos fatos.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247