MPE investiga vereador que recebeu salário de gari

O Ministério Público Alagoas (MPE-AL) abriu procedimento para investigar o vereador de Maribondo, Francisco Roberto Lopes de Araújo, que ocupa o cargo de gari, mas não vem exercendo a função regularmente, só que recebe o salário de forma integral; ele recebeu os pagamentos de 2013 a 2016, porém, a Secretaria de Infraestrutura do município alega não ser possível apresentar as informações referentes a folha de ponto e carga horária do servidor 

O Ministério Público Alagoas (MPE-AL) abriu procedimento para investigar o vereador de Maribondo, Francisco Roberto Lopes de Araújo, que ocupa o cargo de gari, mas não vem exercendo a função regularmente, só que recebe o salário de forma integral; ele recebeu os pagamentos de 2013 a 2016, porém, a Secretaria de Infraestrutura do município alega não ser possível apresentar as informações referentes a folha de ponto e carga horária do servidor 
O Ministério Público Alagoas (MPE-AL) abriu procedimento para investigar o vereador de Maribondo, Francisco Roberto Lopes de Araújo, que ocupa o cargo de gari, mas não vem exercendo a função regularmente, só que recebe o salário de forma integral; ele recebeu os pagamentos de 2013 a 2016, porém, a Secretaria de Infraestrutura do município alega não ser possível apresentar as informações referentes a folha de ponto e carga horária do servidor  (Foto: Voney Malta)

Alagoas 247 - O Ministério Público Estadual (MPE), por meio da Promotoria de Justiça de Maribondo, abriu procedimento preparatório para investigar o vereador de Maribondo, Francisco Roberto Lopes de Araújo, que ocupa o cargo de gari, mas não vem exercendo a função regularmente, recebendo o salário de forma integral. A portaria está publicada no Diário Oficial do Estado (DOE) desta quinta-feira (23). 

De acordo com a publicação, o procedimento - que antecede o inquérito civil público - leva em conta o caráter de instituição permanente do MP, essencial à função jurisdicional do Estado, "incumbindo-lhe a defesa da ordem jurídica, do regime democrático e dos interesses sociais e individuais indisponíveis". 

Conforme a portaria, o vereador recebeu regularmente o salário referente à função de gari, entre os anos de 2013 a 2016; contudo, a Secretaria de Infraestrutura do município alegou que, "em face da mudança recente de gestão municipal, não foi possível apresentar as informações referentes a folha de ponto e carga horária do servidor municipal".

Portanto, a promotoria resolve instaurar procedimento preparatório, tendo em vista a necessidade de apurar e complementar as informações apresentadas antes de instaurar o inquérito. A portaria é assinada pelo promotor de Justiça, Marllisson Andrade Silva

Com gazetaweb.com

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247