MPF pede sete anos de prisão para Geddel

Em alegações finais, a Procuradoria da República no Distrito Federal alega "embaraço a investigação" por parte do ex-ministro Geddel Vieira Lima; segundo o órgão, "pressões exercidas veladamente" pelo político baiano "fizeram Lúcio Funaro recuar (temporariamente) no propósito de colaborar"

MPF pede sete anos de prisão para Geddel
MPF pede sete anos de prisão para Geddel
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - A Procuradoria da República no Distrito Federal pediu, em alegações finais enviadas à Justiça Federal do Distrito Federal, sete anos de prisão para o ex-ministro Geddel Vieira Lima, ex-braço-direito de Michel Temer.

O Ministério Público Federal alega "embaraço a investigação" por parte de Geddel e afirma que "sondagens e pressões exercidas veladamente" pelo político baiano "fizeram Lúcio Funaro recuar (temporariamente) no propósito de colaborar".

Nesse processo, Geddel é acusado de atrapalhar outra investigação, referente às operações Cui Bono e Sépsis, que tratam de desvios na Caixa. O MPF argumenta que, após a prisão de Funaro, Geddel monitorou e constrangeu a mulher do corretor, Raquel Pitta, com a intenção de "influenciá-lo" a não delatar.

Após o pedido do MPF, é a vez de a defesa de Geddel apresentar suas alegações, e só então o juiz federal Valisney de Oliveira, da 10ª Vara Federal Criminal do Distrito Federal, responsável pelo caso, poderá proferir a sentença.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247