MST denuncia pulverização de agrotóxicos sobre acampados no interior do Pará

De acordo com o MST, aviões são usados para a pulverização, que estão atingido plantações e moradias em Santa Luzia do Pará, nordeste do estado

Funcionário aplica agrotóxico em pequena fazenda
Funcionário aplica agrotóxico em pequena fazenda (Foto: Reuters/Davi Pinheiro)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 - Famílias do acampamento Quintino Lira, em Santa Luzia do Pará, nordeste do estado, denunciam a pulverização "irresponsável" que estariam provocando intoxicação. De acordo com o Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), aviões são usados para a pulverização, que estão atingido plantações e moradias.

"Nossas roças, mulheres grávidas, crianças e nossos idosos são os mais afetados", afirmou um dos acampados. "Há vários relatos de dores no corpo, falta de ar, forte dor de cabeça, ardência nos olhos e enjoos ocasionados pela inalação dos agrotóxicos", complementou. A entrevista dele foi publicada pelo portal G1

O movimento disse que a situação atinge também toda a região de comunidades vizinhas ao acampamento. "O manuseio de agrotóxicos está contaminando o meio ambiente, os alimentos e a água consumida pelos moradores da região", afirmou. 

Segundo o Repórter Brasil, o governo Jair Bolsonaro fechou 2020 com aprovação de 493 novos agrotóxicos, 19 a mais que em 2019, antigo recordista.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email