Odebrecht e OAS delatam Aécio Neves com prazer

Informação é da colunista Mônica Bergamo; segundo ela, tanto Marcelo Odebrecht como Léo Pinheiro, ex-presidentes da Odebrecht e da OAS, avaliam que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) tocou fogo no circo imaginando que a Lava Jato atingiria apenas o PT – e não todo o sistema político brasileiro, levando junto as empreiteiras; Pinheiro já mencionou a cobrança de propina de 3% nas obras da Cidade Administrativa de Minas Gerais e Marcelo também citará Aécio em seu acordo; o tucano José Serra também estaria sendo delatado, mas com maior parcimônia, segundo a colunista  

Informação é da colunista Mônica Bergamo; segundo ela, tanto Marcelo Odebrecht como Léo Pinheiro, ex-presidentes da Odebrecht e da OAS, avaliam que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) tocou fogo no circo imaginando que a Lava Jato atingiria apenas o PT – e não todo o sistema político brasileiro, levando junto as empreiteiras; Pinheiro já mencionou a cobrança de propina de 3% nas obras da Cidade Administrativa de Minas Gerais e Marcelo também citará Aécio em seu acordo; o tucano José Serra também estaria sendo delatado, mas com maior parcimônia, segundo a colunista
 
Informação é da colunista Mônica Bergamo; segundo ela, tanto Marcelo Odebrecht como Léo Pinheiro, ex-presidentes da Odebrecht e da OAS, avaliam que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) tocou fogo no circo imaginando que a Lava Jato atingiria apenas o PT – e não todo o sistema político brasileiro, levando junto as empreiteiras; Pinheiro já mencionou a cobrança de propina de 3% nas obras da Cidade Administrativa de Minas Gerais e Marcelo também citará Aécio em seu acordo; o tucano José Serra também estaria sendo delatado, mas com maior parcimônia, segundo a colunista   (Foto: Leonardo Attuch)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Minas 247 – A jornalista Mônica Bergamo informa que o senador Aécio Neves (PSDB-MG), presidente nacional do PSDB, está sendo delatado "com prazer" pelas empreiteiras Odebrecht e OAS, as duas maiores do País.

"De acordo com integrante da equipe que acompanha as delações, tanto executivos da Odebrecht quanto Léo Pinheiro, da OAS, acham que Aécio colocou fogo na Operação Lava Jato porque imaginava que ela só atingiria o PT. Pouco teria se importado com as empreiteiras", diz ela. "Recados enviados inclusive por Marcelo Odebrecht, que dizia ser amigo do tucano, teriam sido desprezados pelo mineiro."

Tanto Marcelo Odebrecht como Léo Pinheiro, ex-presidentes da Odebrecht e da OAS, avaliam que o senador Aécio Neves (PSDB-MG) tocou fogo no circo imaginando que a Lava Jato atingiria apenas o PT – e não todo o sistema político brasileiro, levando junto as empreiteiras.

Pinheiro já mencionou a cobrança de propina de 3% nas obras da Cidade Administrativa de Belo Horizonte, nova sede do governo mineiro, e Marcelo também citará Aécio em seu acordo.

O tucano José Serra também estaria sendo delatado, mas com maior parcimônia, segundo a colunista, porque não teria incentivado a destruição das construtoras, como teria sido o caso de Aécio.


 

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247