ONU ajuda, mas GDF tem que correr para terminar Mané

Estádio Nacional de Brasília está quase concluído, mas os cerca de 10% que faltam tem dado dor de cabeça ao governo do Distrito Federal; ainda estão pendentes a instalação da cobertura, das cadeiras, dos placares e do guarda-corpos, as obras de urbanismo e paisagismo ao redor do Mané Garrincha e a contratação da empresa responsável pela comunicação visual da arena; compras de armários, câmeras de vídeo e aparelhos de raio-x vão ser feitas por meio de parceria com a ONU; medida foi a saída encontrada para acelerar o processo e evitar o longo trâmite da licitação pública

ONU ajuda, mas GDF tem que correr para terminar Mané
ONU ajuda, mas GDF tem que correr para terminar Mané
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Juliane Sacerdote _Brasília 247 – Apesar dos esforços do governo do Distrito Federal, ainda há cerca de 10% do Estádio Nacional de Brasília Mané Garrincha a ser concluído até o dia 21 de abril. É menos de um mês para finalizar a colocação da cobertura, instalar todas as cadeiras de plástico, plantar o gramado e colocar os painéis eletrônicos.

Isso sem falar das obras de paisagismo e urbanismo ao redor da arena, que foram autorizadas na semana passada pelo Tribunal de Contas do Distrito Federal. Os conselheiros entenderam que as irregularidades não haviam sido sanadas, mas por conta do tempo "exíguo" para a Copa das Confederações, viram que era "necessário" liberar a licitação, orçada em R$ 305 milhões.

Claro que foi feita a ressalva que o governo local deve apresentar explicações o "mais rápido possível" para que as intervenções na zona central do Plano Piloto sejam feitas sem "falhas". O projeto abrange a construção de dois túneis: o de ligação entre a arena e o Centro de Convenções Ulysses Guimarães e o que sai do Parque da Cidade em direção ao Clube do Choro, além da construção de uma ligação entre as W4 e W5 Norte e Sul. [Relembre aqui]

A Corte de contas também liberou "excepcionalmente" a concorrência pública para contratar a empresa responsável pela comunicação visual do estádio, por entender que poderiam ocorrer atrasos na data da inauguração da arena. Esse é mais um ponto a ser concluído pelo GDF até o próximo mês.

Em visita à Brasília no final de janeiro, o secretário-geral da FIFA Jérôme Valcke, foi bem claro: "Não é possível atrasar mais do que meados de abril. Nessa data tem que estar tudo pronto, a cobertura (dos estádios), os assentos, as salas... Deve estar tudo pronto para os eventos testes".

Com uma série de licitações a realizar, o GDF pediu ajuda à Organização das Nações Unidas (ONU). O Programa das Nações Unidas para o Desenvolvimento (PNUD) vai comprar câmeras de vídeo, armários para instalar nos vestiários e aparelhos de raio-x para serem usados na segurança. Isso vai contribuir com parte da tarefa ainda não cumprida pela capital do país.

Segundo o secretário extraordinário da Copa, Cláudio Monteiro, o GDF apenas "contou com parceiros que tem experiência" e que a iniciativa não está relacionada aos prazos.

Falhas

Para acelerar a construção do Mané Garrincha, o governo local optou por fazer licitações variadas, com contratos independentes e empresas diferentes.

O Tribunal de Contas analisou todas as concorrências lançadas até agora, e encontrou "irregularidades graves" em grande parte delas. Entre os problemas estão o superfaturamento de preços e as falhas nos projetos básicos.

Segundo a assessoria da Corte de Contas, até o dia 21 de março, existiam 19 aditivos ao contrato inicial, resultando em um custo de R$ 1,08 bilhão. Ou seja, o orçamento inicial, de R$ 696 milhões, saltou 48,43%. Mas o valor poderia ser maior, de acordo com o TCDF, já que os auditores sugeriram mudanças que resultaram em uma economia de quase R$ 100 milhões.

Mesmo com a liberação de duas licitações na semana passada ainda existe um pregão suspenso. É a contratação da empresa que irá instalar o guarda-corpos, para evitar que os torcedores caiam no vão do campo.

Os auditores encontraram suspeita de sobrepreço de quase R$ 1 milhão na licitação orçada em R$ 10,42 milhões. O GDF já recorreu e apresentou as justificativas, que ainda estão sendo analisadas.

O governador Agnelo Queiroz tem reiterado que vai conseguir inaugurar o Mané Garrincha no aniversário de 53 anos de Brasília, e inclusive, já se comprometeu a realizar duas partidas na nova arena, uma espécie de teste para a Copa das Confederações, marcada para 15 de junho.

O DF vai receber, no dia 18 de maio, a final do Campeonato Candango e no dia 25 do mesmo mês, a disputa entre Santos e Flamengo pelo Campeonato Brasileiro.

O conhecimento liberta. Saiba mais. Siga-nos no Telegram.

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247

WhatsApp Facebook Twitter Email