Operação Turbulência tem FBC como um dos alvos

Senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) aparece como um dos investigados pela Operação Turbulência, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira (21) e que apura, entre outros casos, a arrecadação ilícita de recursos para a campanha de reeleição de Eduardo Campos (PSB) ao governo de Pernambuco em 2010 e à Presidência da República em 2014; FBC é pai do atual ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (PSB-PE) e já havia tido seu nome citado na delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa como destinário de R$ 209 milhões em propinas que seriam empregadas em campanhas eleiotrais

Senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) aparece como um dos investigados pela Operação Turbulência, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira (21) e que apura, entre outros casos, a arrecadação ilícita de recursos para a campanha de reeleição de Eduardo Campos (PSB) ao governo de Pernambuco em 2010 e à Presidência da República em 2014; FBC é pai do atual ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (PSB-PE) e já havia tido seu nome citado na delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa como destinário de R$ 209 milhões em propinas que seriam empregadas em campanhas eleiotrais
Senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) aparece como um dos investigados pela Operação Turbulência, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira (21) e que apura, entre outros casos, a arrecadação ilícita de recursos para a campanha de reeleição de Eduardo Campos (PSB) ao governo de Pernambuco em 2010 e à Presidência da República em 2014; FBC é pai do atual ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (PSB-PE) e já havia tido seu nome citado na delação premiada do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa como destinário de R$ 209 milhões em propinas que seriam empregadas em campanhas eleiotrais (Foto: Paulo Emílio)

Pernambuco 247 - O senador Fernando Bezerra Coelho (PSB-PE) voltou a ter o seu nome citado como um dos envolvidos no esquema de arrecadação de recursos irregulares para campanhas eleitorais. Desta vez, FBC aparece como um dos investigados pela Operação Turbulência, deflagrada pela Polícia Federal nesta terça-feira (21) e que apura, entre outros casos, a arrecadação ilícita de recursos para a campanha de reeleição de Eduardo Campos (PSB) ao governo de Pernambuco em 2010 e à Presidência da República em 2014. FBC é pai do atual ministro das Minas e Energia, Fernando Filho (PSB-PE).

"O que temos na nossa investigação, através dos dados cruzados com o STF (Supremo Tribunal Federal), é que Fernando Bezerra Coelho teria sido a pessoa encarregada de colher os valores do percentual devido para a campanha de Eduardo Campos", afirmou a delegada Andrea Pinho em entrevista coletiva na Superintendência da Polícia Federal em Pernambuco.

O nome do senador já havia aparecido durante depoimento de delação premiada feito do ex-diretor da Petrobras Paulo Roberto Costa. Costa afirmou á Justiça que FBC teria recebido R$ 20 milhões que seriam destinados à campanha de reeleição de Campos em 2010. Na ocasião, FBC negou as acusações e afirmou que não trabalhou na coordenação da campanha que reelegeu Campos para o Palácio do Campo das Princesas.

 

Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247