Oposição se rende e Proinveste deve ser aprovado

Apelo de Déda e vinda de Dilma foram senhas para abertura do diálogo em torno do empréstimo, no entanto, valor dos projetos não chegará a R$ 727 milhões, pois, segundo Amorim, R$ 160 milhões são contrapartida do PAC, e Governo já tem este dinheiro; Votação será após Carnaval; Edivan avisa que diálogo não significa alinhamento

Oposição se rende e Proinveste deve ser aprovado
Oposição se rende e Proinveste deve ser aprovado
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Valter Lima, do Sergipe 247 - Reprovado pela maioria dos deputados estaduais em dezembro de 2012, o empréstimo de R$ 727 milhões, do Proinveste, para obras estruturantes no Estado de Sergipe, deverá ter um destino diferente, no retorno dos trabalhos legislativos, após o Carnaval, quando será reapresentado.

Após o apelo do governador Marcelo Déda (PT) aos irmãos Edivan (PTB) e Eduardo Amorim (PSC), na formatura do Instituto Luciano Barreto Júnior, em janeiro, e a vinda da presidente Dilma Rousseff (PT) ao Estado na semana passada, que a oposição aceitou dialogar com o Governo.

Prorrogado o prazo para obtenção do empréstimo no Conselho Monetário Nacional – o limite era 31 de janeiro, mas foi estendido a 30 de junho –, os projetos das obras que receberão recursos do Proinveste estão sendo discutidos pela oposição. Nesta segunda-feira (4), reuniram-se a presidente da Assembleia Legislativa, Angélica Guimarães (PSC), o senador Eduardo Amorim (PSC) e o prefeito de Aracaju, João Alves Filho (DEM), para discutir as realizações que ocorrerão em Aracaju com parte do empréstimo.

Como a prioridade são as obras estruturantes, novas grandes avenidas aparecerão no cenário de Aracaju, desafogando, assim, o trânsito que já figura em dos principais problemas da gestão. Foram analisados os projetos da duplicação da Avenida Euclides Figueiredo, a interligação da Avenida Gasoduto à Avenida Augusto Franco “Rio de Janeiro” e a Avenida Perimetal Oeste, que passará por 22 bairros com finalização na Zona de Expansão.

Angélica Guimarães defende que é importante o diálogo entre as partes. “Os deputados já foram consultados e eles têm o direito de opinar e analisar cada projeto, pois esse é nosso papel e não poderia ser diferente”, afirmou Angélica ao avaliar como positiva a postura do governador, Marcelo Déda (PT), ao ampliar os debates. “Temos o senador Eduardo Amorim como interlocutor. Ele tem um papel preponderante nessa aprovação. Onde há diálogo, há entendimento, há respeito e com Eduardo Amorim essa questão está em primeiro plano”, disse.

De acordo com o senador, nesta semana, a oposição deve fechar um acordo pela aprovação do empréstimo. “Na conversa com Déda, ele disse que estava passando por um novo momento, mantendo respeito e consideração. Estamos hoje numa posição de responsabilidade”, disse Eduardo Amorim.

Ele ressalta que o que o que está sendo debatido hoje é a aprovação de R$ 567 milhões, pois um dos projetos, o de R$ 160 milhões, é contrapartida do Programa de Aceleração do Crescimento e este dinheiro já existe, segundo o secretário da Fazenda. “Então para que pedir emprestados se já tem o recurso?”, questiona.

O projeto voltará ao debate da Assembleia após o Carnaval, a partir do dia 18 de fevereiro. Mas esta aproximação por causa do empréstimo não significa alinhamento político. “Os entendimentos em torno de Proinveste não pressupõem seguir caravanas do Governo”, afirma Edivan Amorim.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247