Outro delator liga codinome “Acelerado” a ex-gerente da Petrobrás, e não a Eduardo

Após associar o apelido “Acelerado” das planilhas da Odebrecht ao deputado estadual Eduardo Siqueira Campos, do DEM (foto), o Jornal Nacional, da TV Globo, retomou o assunto e, segundo a publicação, documentos entregue pelo delator ex-executivo da empreiteira Benedito Júnior, e que basearam a primeira matéria ligam o codinome ao democrata; mas outro delator, Rogério Santos de Araújo, afirmou a procuradores da Operação Lava Jato que o apelido é referente ao ex-gerente da área internacional da Petrobrás Aluísio Teles; a defesa do democrata quer interpelar Benedito sobre quem seria o beneficiário dos US$ 24,750 milhões

Após associar o apelido “Acelerado” das planilhas da Odebrecht ao deputado estadual Eduardo Siqueira Campos, do DEM (foto), o Jornal Nacional, da TV Globo, retomou o assunto e, segundo a publicação, documentos entregue pelo delator ex-executivo da empreiteira Benedito Júnior, e que basearam a primeira matéria ligam o codinome ao democrata; mas outro delator, Rogério Santos de Araújo, afirmou a procuradores da Operação Lava Jato que o apelido é referente ao ex-gerente da área internacional da Petrobrás Aluísio Teles; a defesa do democrata quer interpelar Benedito sobre quem seria o beneficiário dos US$ 24,750 milhões
Após associar o apelido “Acelerado” das planilhas da Odebrecht ao deputado estadual Eduardo Siqueira Campos, do DEM (foto), o Jornal Nacional, da TV Globo, retomou o assunto e, segundo a publicação, documentos entregue pelo delator ex-executivo da empreiteira Benedito Júnior, e que basearam a primeira matéria ligam o codinome ao democrata; mas outro delator, Rogério Santos de Araújo, afirmou a procuradores da Operação Lava Jato que o apelido é referente ao ex-gerente da área internacional da Petrobrás Aluísio Teles; a defesa do democrata quer interpelar Benedito sobre quem seria o beneficiário dos US$ 24,750 milhões (Foto: Leonardo Lucena)

Tocantins 247 - Após associar o apelido “Acelerado” das planilhas da Odebrecht ao deputado estadual Eduardo Siqueira Campos (DEM), o Jornal Nacional, da TV Globo, retomou o assunto nesta segunda-feira (24) e, segundo a publicação, documentos entregue pelo delator ex-executivo da empreiteira Benedito Júnior, e que basearam a primeira matéria, no sábado (22), ligam o codinome ao democrata. Mas outro delator, Rogério Santos de Araújo, afirmou a procuradores da Operação Lava Jato que o apelido é referente ao ex-gerente da área internacional da Petrobrás Aluísio Teles.

Um documento entregue ao Ministério Público Federal pelo ex-presidente do setor de Infraestrutura da Odebrecht Benedito Júnior indicava Siqueira como beneficiário de US$ 24,750 milhões em 2011 e 2012, sob a alcunha de “Acelerado”, segundo mostrou o JN n o sábado (22). O valor seria propina ao PT e PMDB em contrapartida ao fechamento de contrato com a Petrobrás.

Siqueira disse ter ficado “indignado” e afirmou ter ocorrido “erro grave de apuração” após a primeira matéria do JN. Após o depoimento de Rogério Araújo, a assessoria de comunicação informou que os advogados do democrata irão interpelar Benedito Júnior sobre quem seria o beneficiário dos US$ 24,750 milhões.

“Estando em regime de delação premiada, [Benedito Júnior] não poderá mentir e irá com certeza confirmar o depoimento do senhor Rogério Santos de Araújo, que igualmente repetiu seguidas vezes em áudio e vídeo quem seria o ‘Acelerado’ e as negociações em 2010”, argumenta a nota. O relato é do Cleber Toledo.

O parlamentar tem dito que nunca pertenceu aos dois partidos beneficiados e que sequer tinha mandato na época dos repasses.

 




Conheça a TV 247

Mais de Geral

Ao vivo na TV 247 Youtube 247