PIB do Ceará registra queda de 4,65 no 2º trimestre de 2016

De acordo com IPECE, a queda é fruto da crise macroeconômica que o País enfrenta. O PIB é calculado com base nos resultados dos setores Agropecuária, Indústria e Serviços, e detalhados por suas atividades econômicas

De acordo com IPECE, a queda é fruto da crise macroeconômica que o País enfrenta. O PIB é calculado com base nos resultados dos setores Agropecuária, Indústria e Serviços, e detalhados por suas atividades econômicas
De acordo com IPECE, a queda é fruto da crise macroeconômica que o País enfrenta. O PIB é calculado com base nos resultados dos setores Agropecuária, Indústria e Serviços, e detalhados por suas atividades econômicas (Foto: Fatima 247)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará247 - O Instituto de Pesquisa e Estratégia Econômica do Ceará (Ipece) divulgou, nesta quinta-feira (22), a análise do PIB do Ceará no 2º trimestre de 2016 em comparação com o mesmo período de 2015. O índice registrado indica queda menor que a do mesmo período do ano passado, sendo -4,65% agora, enquanto no segundo trimestre de 2015 foi de -5,69%.

De acordo com os analistas do Instituto, a realidade mostrada no estudo trimestral é comum a todos os estados do Brasil devido à crise macroeconômica que o País enfrenta desde o terceiro trimestre de 2014. Outros sete estados também divulgam análise do PIB trimestral. Todos, até agora, apresentaram resultados negativos O pior índice foi observado no Espírito Santo (-15%), seguido do Ceará (-4,65%), São Paulo (-3,8%), Bahia (-3,7%), Rio Grande do Sul (-3,1%) e Minas Gerais (-2,8%).

O PIB trimestral é um indicador que mostra a tendência do desempenho da economia no curto prazo. O estudo é calculado com base nos resultados dos setores Agropecuária, Indústria e Serviços, e detalhados por suas atividades econômicas.

Setores

Neste 2º trimestre, o PIB da agropecuária cearense cresceu 2,95%. No mesmo período de 2015 o PIB da agropecuária foi de -37,11%. Os outros setores calculados apresentaram queda. O setor de serviços teve decréscimo de 3,57%, resultado influenciado pela queda na atividade do comércio, que sofreu redução de 10,04%.

A indústria caiu 6,74%, influenciada pelo desempenho das atividades da indústria de transformação e da construção civil. As informações constam do Boletim da Conjuntura Cearense do 2º trimestre de 2016, divulgado hoje.

Como indica somente uma tendência de crescimento ou arrefecimento da economia, as informações e resultados são preliminares e sujeitos a retificações após cálculo das Contas Regionais definitivas, em conjunto com o IBGE e as 27 Unidades da Federação.

(Com informações do IPECE)

 

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como:

• Cartão de crédito na plataforma Vindi: acesse este link

• Boleto ou transferência bancária: enviar email para [email protected]

• Seja membro no Youtube: acesse este link

• Transferência pelo Paypal: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Vakinha: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Catarse: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo APOIA.se: acesse este link

• Financiamento coletivo pelo Patreon: acesse este link

Inscreva-se também na TV 247, siga-nos no Twitter, no Facebook e no Instagram. Conheça também nossa livraria, receba a nossa newsletter e ative o sininho vermelho para as notificações.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247