Pimenta: vazamento sobre Wagner é seletivo e criminoso

Mensagens do celular do ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro, vazadas se referem à época em que o atual ministro-chefe da Casa Civil era governador da Bahia, sobre o financiamento de campanhas da eleição municipal de Salvador em 2012; “Há um vazamento seletivo dentro da Polícia Federal que cria uma relação perversa na condução das investigações. Esse vazamento é criminoso”, afirmou o vice-líder do governo no Congresso, deputado Paulo Pimenta (PT-RS)

Mensagens do celular do ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro, vazadas se referem à época em que o atual ministro-chefe da Casa Civil era governador da Bahia, sobre o financiamento de campanhas da eleição municipal de Salvador em 2012; “Há um vazamento seletivo dentro da Polícia Federal que cria uma relação perversa na condução das investigações. Esse vazamento é criminoso”, afirmou o vice-líder do governo no Congresso, deputado Paulo Pimenta (PT-RS)
Mensagens do celular do ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro, vazadas se referem à época em que o atual ministro-chefe da Casa Civil era governador da Bahia, sobre o financiamento de campanhas da eleição municipal de Salvador em 2012; “Há um vazamento seletivo dentro da Polícia Federal que cria uma relação perversa na condução das investigações. Esse vazamento é criminoso”, afirmou o vice-líder do governo no Congresso, deputado Paulo Pimenta (PT-RS) (Foto: Roberta Namour)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

247 – Para o vice-líder do governo no Congresso, deputado Paulo Pimenta (PT-RS), o vazamento de conversas do ex-presidente da OAS, Leo Pinheiro, envolvendo Jaques Wagner na Lava Jato é “seletivo e criminoso”. “Há um vazamento seletivo dentro da Polícia Federal que cria uma relação perversa na condução das investigações. Esse vazamento é criminoso”, afirmou.

Mensagens do celular do empreiteiro foram divulgadas pelo ‘Estado de S. Paulo’ e se referem à época em que o atual ministro-chefe da Casa Civil era governador da Bahia, sobre o financiamento de campanhas da eleição municipal de Salvador em 2012.

Deputados de oposição anunciaram que vão pedir à Procuradoria-Geral da República (PGR) a abertura de inquérito no Supremo Tribunal Federal (STF) para investigar a atuação do ministro.

“A primeira investigação que tem que se fazer é sobre os vazamentos seletivos da Polícia Federal. É um documento que estava sob sigilo e não tinha sequer chegado ao Ministério Público Federal e ao Supremo Tribunal Federal”, afirmou Pimenta. Segundo ele, há uma estratégia da oposição em conjunto com a Polícia Federal. “Estou convencido de que há um jogo combinado entre setores da PF e da oposição, com vazamentos seletivos”, disse.

Leia aqui reportagem de Isabela Bonfim sobre o assunto.

O conhecimento liberta. Saiba mais

A você que chegou até aqui, agradecemos muito por valorizar nosso conteúdo. Ao contrário da mídia corporativa, o Brasil 247 e a TV 247 se financiam por meio da sua própria comunidade de leitores e telespectadores. Você pode apoiar a TV 247 e o site Brasil 247 de diversas formas. Veja como em brasil247.com/apoio

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247