Pimentel estuda reduzir dividendos da Cemig

O governador eleito em Minas, Fernando Pimental (PT), quer reduzir o valor pago em dividendos aos acionistas pela Cemig (CMIG4); de acordo com o núcleo petista do futuro governo, o valor distribuído aos acionistas é alto demais quando considera que a empresa tem que aumentar os investimentos e resolver problemas na qualidade dos serviços prestados; atualmente, o governo mineiro é controlador da empresa e recebe 22% dos dividendos  

O governador eleito em Minas, Fernando Pimental (PT), quer reduzir o valor pago em dividendos aos acionistas pela Cemig (CMIG4); de acordo com o núcleo petista do futuro governo, o valor distribuído aos acionistas é alto demais quando considera que a empresa tem que aumentar os investimentos e resolver problemas na qualidade dos serviços prestados; atualmente, o governo mineiro é controlador da empresa e recebe 22% dos dividendos
 
O governador eleito em Minas, Fernando Pimental (PT), quer reduzir o valor pago em dividendos aos acionistas pela Cemig (CMIG4); de acordo com o núcleo petista do futuro governo, o valor distribuído aos acionistas é alto demais quando considera que a empresa tem que aumentar os investimentos e resolver problemas na qualidade dos serviços prestados; atualmente, o governo mineiro é controlador da empresa e recebe 22% dos dividendos   (Foto: Leonardo Lucena)

InfoMoney - O governador eleito em Minas Gerais, Fernando Pimental (PT), quer reduzir o valor pago em dividendos aos acionistas pela Cemig (CMIG4), informou nesta segunda-feira (24) o Valor. O que o núcleo petista do futuro governo vê é que o valor distribuído aos acionistas é alto demais quando considera que a empresa tem que aumentar os investimentos e resolver
problemas na qualidade dos serviços prestados. Atualmente, o governo mineiro é controlador da empresa e recebe 22% dos
dividendos.

O estatuto da companhia prevê pagamento de dividendos mínimos de 50% do lucro líquido esperado. Apesar disso, em 2013, a distribuição de dividendos alcançou 90,7% do lucro, ou R$ 3,104 bilhões. Em 2012, foi de 68%, enquanto em 2011 foi de 84%. Este ano, a companhia anunciou dividendos extraordinários de R$ 1,7 bilhão.

Segundo a reportagem, Pimentel viu como correta a postura da agência de classificação de risco Moody's de rebaixar o rating da elétrica na semana passada como resultado da deterioração das métricas de crédito da companhia, sobretudo, em função de um esperado aumento do nível dos dividendos que serão distribuídos em 2014. A nota da Cemig passou de Baa3 para Ba1, o que levou a empresa a perder o grau de investimento.

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247