Prefeito de Quiterianópolis é afastado por desvio de verbas do Fundeb

José Barreto Couto Neto, prefeito de Quiterianópolis, foi afastado do cargo a pedido do Ministério Público Federal no Ceará. De acordo com ação de improbidade administrativa, a prefeitura desviou parte da verba do Fundeb do município para a empresa JM Abreu Locação de Veículos

José Barreto Couto Neto, prefeito de Quiterianópolis, foi afastado do cargo a pedido do Ministério Público Federal no Ceará. De acordo com ação de improbidade administrativa, a prefeitura desviou parte da verba do Fundeb do município para a empresa JM Abreu Locação de Veículos
José Barreto Couto Neto, prefeito de Quiterianópolis, foi afastado do cargo a pedido do Ministério Público Federal no Ceará. De acordo com ação de improbidade administrativa, a prefeitura desviou parte da verba do Fundeb do município para a empresa JM Abreu Locação de Veículos (Foto: Rodrigo Rocha)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

Ceará247 - O Ministério Público Federal no Ceará (MPF/CE) conseguiu que a Justiça Federal determinasse o afastamento do prefeito do município de Quiterianópolis, José Barreto Couto Neto, além da indisponibilidade dos bens do gestor. O prefeito é acusado de desviar recursos do Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação (Fundeb).

De acordo com ação de improbidade administrativa que resultou na decisão judicial, a Prefeitura de Quiterianópolis desviou parte da verba do Fundeb do município para a empresa JM Abreu Locação de Veículos. O MPF apurou que uma tranferência de cerca de R$ 8 mil à empresa estava descrita em folha de pagamento de profissionais da Secretaria de Educação do Município.

Para o juiz federal da 24ª Vara, João Batista Martins Praga Prata, as apurações do MPF indicaram que, na condição de prefeito municipal, José Barreto Couto Neto desviou recursos públicos para custear funcionários privados empregados de sociedade empresarial titularizada formalmente por sua esposa.

Na ação civil para apurar a prática de improbidade, o MPF  pediu concessão de liminar pelo afastamento do prefeito José Barreto do cargo durante a instrução do processo, considerando a gravidade dos atos de improbidade apurados na ação.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247