Pró-Moradia extinguirá favelas com construção de 1.740 casas

Realizado em parceria com o Governo do Estado, o Pró-Moradia é um programa do Governo Federal, financiado pela Caixa Econômica que contribui com o acesso à moradia adequada a pessoas em situação de risco social e com rendimento familiar mensal de até R$ 1.395,00; programa construirá unidades habitacionais para famílias que residem em situações insalubres na Invasão da Avenida Euclides Figueiredo em Aracaju, na invasão do Canal do Guaxinim, no município de Barra dos Coqueiros, e na Invasão do Rio do Sal, no município de Nossa Senhora do Socorro

Pró-Moradia extinguirá favelas com construção de 1.740 casas
Pró-Moradia extinguirá favelas com construção de 1.740 casas

ASN - O Governo do Estado de Sergipe por meio da Secretaria de Estado do Desenvolvimento Urbano (Sedurb) e do programa Pró-Moradia construirá 1.740 unidades habitacionais para famílias que residem em situações insalubres na Invasão da Avenida Euclides Figueiredo em Aracaju, na invasão do Canal do Guaxinim, no município de Barra dos Coqueiros, e na Invasão do Rio do Sal, no município de Nossa Senhora do Socorro.

Realizado em parceria com o Governo do Estado, o Pró-Moradia é um programa do Governo Federal, financiado pela Caixa Econômica que contribui com o acesso à moradia adequada a pessoas em situação de risco social e com rendimento familiar mensal de até R$ 1.395,00.

Aracaju

Na avenida Euclides Figueiredo, no bairro Porto Dantas, o estágio da obra é satisfatório, apesar do andamento ter sido prejudicado com as recentes chuvas que atingiram a capital nos últimos dias, fazendo com que os trabalhos fossem paralisados. A boa notícia é que a primeira parte das quadras onde serão construídas as casas já está concluída. Assim que as condições climáticas estiverem favoráveis, terá encaminhamento à próxima etapa, que consiste na execução da rede de drenagem e esgoto.

Outro avanço foi a remoção da maioria dos barracos que estavam localizados nas áreas 6, 7 e 8, compreendida entre o acesso da obra até a ponte sobre o Rio do Sal. As famílias que anteriormente ocupavam aquele espaço foram realocadas no aluguel social custeado pelo Governo do Estado e só devem retornar para a localidade quando as casas estiverem prontas. “Atualmente, apenas quatro barracos ainda estão no local, mas todos os procedimentos para a remoção já foram providenciados, faltando apenas encontrar moradias para que as famílias permaneçam até o final das obras”, destaca o engenheiro responsável pelas obras do Pró-Moradia, Marcos Conceição.

Centro Social

Com a proposta de estreitar os laços, além de levar os serviços do Núcleo Social da Sedurb para mais próximo da comunidade, está em fase de construção o Centro Social, localizado às margens da obra. O espaço terá 213,32m² de área construída e sua estrutura física será composta por recepção, acolhimento, sala para uso pedagógico com crianças e adolescentes, duas salas para uso diverso, salas de coordenação e reunião, copa, banheiros comuns e banheiro com adaptações para  pessoas com deficiência.

Para a assistente social da Sedurb, Patrícia Oliveira, a necessidade em estreitar os laços com a comunidade trabalhada é fator essencial para a criação desse Centro Social. “As famílias locais precisam ter um local de referência onde serão executadas as ações do Núcleo Social, para que ele seja um canal de interlocução entre elas, a obra e o Governo do Estado”, declara.

O Centro Social está com mais 30% da construção concluída e, por conta da paralisação em decorrência das chuvas, a previsão de entrega é para o início do mês de junho.

Nossa Senhora do Socorro

O cronograma das obras do Pró-Moradia em Nossa Senhora do Socorro, que contempla a invasão do Rio do Sal no bairro Taiçoca IV e que beneficiará 600 famílias que serão contempladas com unidades habitacionais segue um ritmo considerável.

De acordo com o engenheiro, Marcos Conceição, em comparação com a obra da Avenida Euclides Figueiredo, os trabalhos na invasão do Rio do Sal são mais simples de serem efetuados. “Pelo fato de não ser preciso a desmobilização – retirada de famílias para outros locais - e principalmente por conta do terreno ser mais consolidado, sem a necessidade de efetuar aterro, as facilidades em trabalhar no terreno são melhores, uma vez que no bairro Porto Dantas o solo era de argila vermelha, tendo sido feito um trabalho diferenciado na área”, explica.

De acordo com a secretária Estadual de Desenvolvimento Urbano, Lúcia Falcón, o Pró Moradia está além de um simples programa habitacional. “A Política Habitacional do Governo Marcelo Déda consiste em proporcionar habitação de qualidade, mas também promover uma interação com a população beneficiada desenvolvendo diversos trabalhos com ela, sem contar que o acompanhamento social se dará antes, durante e após a conclusão das obras”, enfatiza.

Foto: Eduardo Almeida

Conheça a TV 247

Ao vivo na TV 247 Youtube 247