PSDB quer população acompanhando julgamento

Presidente nacional da legenda, Sérgio Guerra, afirma esperar que a população acompanhe o julgamento do processo do mensalão durante a campanha eleitoral; para o dirigente, o PT age defensivamente para esconder o escândalo

PSDB quer população acompanhando julgamento
PSDB quer população acompanhando julgamento (Foto: George Gianni/PSDB)
Siga o Brasil 247 no Google News Assine a Newsletter 247

PE247 – A tentativa do PT de tirar o processo do mensalão da campanha eleitoral deste ano foi condenada pelo presidente nacional do PSDB, deputado federal Sérgio Guerra (PE). Em entrevista ao site dos tucanos, o parlamentar pernambucano disse que os petistas estão trabalhando para que ninguém (a população) possa discernir e tirar suas próprias conclusões. “A ação do PT é uma ação defensiva que só tem um objetivo: deixar o povo fora disso, trabalhar para que ninguém tenha a capacidade de discernir e fazer seu próprio julgamento”, bateu Guerra, clamando pela exposição do tema.

“A gente quer nenhuma confusão com isso. Queremos que a população assista, faça sua própria avaliação do julgamento que acontecerá após sete anos”, reforçou o mandatário tucano.

Conforme o dirigente, o brasileiro tem acompanhar o julgamento do caso e todos os fatos que o cercam. “Se o povo brasileiro precisa acompanhar fatos relevantes. Nada deve ser impedido. A população tem de ter acesso a rigorosamente a todos os fatos”, afirmou Sérgio Guerra, ressaltando que, “por razões óbvias”, o processo chamará a atenção de muita gente.

Na mesma entrevista, Sérgio Guerra ainda afirmou que o PT tenta transformar a CPI do Cachoeira na CPI do governador de Goiás, Marconi Perillo, e de outros tucanos citados até momento. O que, para o dirigente, soa como tentativa de tumultuar e desviar o foco do mensalão.

“Não há nenhuma prova ou evidência de comprometimento (dos tucanos), apenas comentários e versões que a própria Polícia Federal distribui, dando conhecimento ao que está sob segredo de justiça, o que não é possível, não é jurídico, não é correto”, disse, disparando na sequência: “Essa CPI virou um processo que por finalidade evitar que a população acompanhe o julgamento do mensalão e tumultuar o processo.”

Guerra ainda acusou o PT de plantar uma nova versão do mensalão, com uma nova teoria sobre a origem dos recursos utilizados no escândalo. O dirigente ainda destacou o fato de Odair Cunha, relator da CPI do Cachoeira ser uma das testemunhas do ex-tesoureiro petista Delúbio Soares, um dos réus do processo. “É uma tentativa desesperada de criar uma versão a favor deles, usando recursos públicos. O relator da CPI do chamado caso Cachoeira (Odair Cunha), na verdade é testemunha do Delúbio. É todo o mesmo grupo que se mobiliza para evitar que o Tribunal faça um julgamento isento dos fatos”, concluiu.

Advogados do PT vão protocolar uma petição dirigida à presidente  do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministra Carmen Lúcia, para que a corte puna o uso indiscriminado de imagens do mensalão no horário eleitoral de TV de adversários do partido.

Participe da campanha de assinaturas solidárias do Brasil 247. Saiba mais.

Comentários

Os comentários aqui postados expressam a opinião dos seus autores, responsáveis por seu teor, e não do 247